2020/08/13

Foxconn reforça produção fora da China


Precavendo-se contra o potencial agravamento das relações comerciais entre os EUA e a China, a Foxconn reforça a sua capacidade produtiva fora da China, para poder contar a prestar os seus serviços aos seus clientes - como a Apple.

A Hon Hai Precision Industry, mais conhecida por Foxconn, é uma das grandes fábricas do mundo, responsável pela produção de incontáveis equipamentos electrónicos - dos quais os iPhones serão os mais famosos - em escala quase inimaginável para a maioria das empresas ocidentais. Será difícil ter noção da complexidade logística envolvida em qualquer linha de produção que seja capaz de montar dezenas de milhões de equipamentos, mas por outro lado bastará relembrar que, só na China, a Foxconn conta com 1.3 milhões(!) de trabalhadores. Uma posição que no entanto começa a mudar...

Devido aos entraves comerciais impostos pelos EUA, já não é assim tão descabido imaginar que, do lado dos EUA ou da própria China, surjam medidas que ponham em causa a capacidade da Foxconn cumprir os contratos com os seus clientes. Um receio que está a fazer com que a Foxconn invista esforços adicionais nas suas linhas de produção fora da China.


Segundo o presidente da empresa, o objectivo será ter capacidade para manter o  nível de produção e montagem em qualquer região do globo, assim ficando salvaguardada contra qualquer medida de bloqueio contra o território Chinês - embora, por outro lado, talvez nem isso possa ser suficiente, tendo em quanto que os EUA poderão fazer algo ao estilo do que estão a fazer com o TikTok, exigindo que passe para controlo de uma empresa norte-americana se desejar continuar a funcionar nos EUA.

De qualquer forma, a Foxconn já conseguiu descentralizar a sua produção, com a percentagem produtiva fora da China a ter aumentado de 25% para 30% só no último ano. E é de imaginar que essa percentagem continue a aumentar, a não ser que o clima de tensão entre EUA e China se reduza após as próximas eleições presidenciais em Novembro.

1 comentário:

  1. A Foxconn não quer montar uma fabriqueta cá por Portugual? :-)

    ResponderEliminar

[pub]