2020/10/27

Despedimento automático de motoristas em Portugal dá queixa contra a Uber

A Uber volta a enfrentar novo processo na Europa, desta vez por causa dos seus algoritmos de "despedimento" de motoristas de forma automática.

A App Drivers & Couriers Union (ADCU) britânica apresentou queixa contra a Uber num tribunal Holandês, referente à prática de despedimento automático pelos seus algoritmos de motoristas em Portugal e no Reino Unido.

Estes motoristas terão sido despedidos depois da Uber dizer que detectou "actividade fraudulenta", mas sem nunca ter disponibilizado os dados que levaram o seu sistema a determinar isso, nem permitir que os condutores pudessem solicitar uma revisão por uma pessoa real para averiguar o que se passa. A questão é que na UE, ao abrigo do artigo 22 do RGPD / GDPR, todas as decisões automáticas que afectem significativamente um indivíduo têm obrigatoriamente que disponibilizar uma forma de apelo e revisão por humanos - sendo isso que irá ser posto à prova neste caso.

Segundo a ADCU os motoristas afectados negam ter praticado qualquer tipo de actividade fraudulenta, mas poderá dar-se o caso de ser algo tão simples quanto usar simultaneamente apps de diferentes serviços, ou qualquer outra situação que a Uber não aprecie, e que este caso poderá ajudar a trazer para a luz do dia ao exigir ver as informações que a Uber considera serem suficientes para justitifcar o despedimento.

Sem comentários:

Publicar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]