2020/10/12

iPhone 12 sem 120Hz devido ao consumo do 5G

Os iPhone 12 deverão chegar sem ecrãs de 120Hz, não por falta de componentes, mas para evitar uma autonomia inferior ao aceitável devido à combinação com o 5G.

A Apple vai revelar os novos iPhone 12 amanhã (13 de Outubro), e um dos aspectos que mais curiosidade tem suscitado é se esta geração irá adoptar, ou não, ecrãs de 120Hz.

É sabido que a Apple esteve a testar iPhones 12 com ecrãs de 120Hz, mas os rumores de que os modelos finais não iriam trazer esses ecrãs arrastam-se há vários meses. Inicialmente foi dito que a Apple estaria com dificuldade em garantir o fornecimento do hardware necessário para esses ecrãs, mas mais recentemennte a explicação passou a ser de que isso seria afinal uma opção deliberada da Apple devido à questão dos consumos.

Os iPhones têm conseguido manter autonomias generosas usando baterias mais pequenas que os modelos Android concorrentes, mas este ano os iPhone 12 irão dar o salto para o 5G, que é uma tecnologia bastante mais gastadora. Se a isso se somasse o ecrã a 120Hz, também mais pesada em termos de consumo, a autonomia ficaria aquém das expectativas dos consumidores, e isso é algo que a Apple não quererá arriscar. Assim, tendo que escolher entre os 120Hz e o 5G, a Apple optou pelo 5G.

É uma decisão que não será consensual. O 5G é uma tecnologia ainda emergente, e que demorará vários anos (muitos?) até finalmente estar acessível a grande parte da população, pelo que nem sequer poderá ser utilizada a curto prazo por milhões de utilizadores. Por outro lado, os 120Hz seriam algo que os utilizadores poderiam usufruir a todo e cada instante em que pegam nos seus iPhone; e que se vai tornando "comum" nos smartphones Android, até nas gamas mais económicas.

Por mim, nem sequer haveria decisão possível, e daria prioridade aos 120Hz, cujas vantagens a Apple bem conhece, pois já utiliza ecrãs de 120Hz nos iPad Pro há vários anos. Mas assim sendo, parece que o iPhone 12 deste ano terá sido um modelo feito a pensar nas operadoras, que têm pressionado a Apple a adoptar o 5G, incluindo o malfadado 5G mmWave nos EUA, que será de utilização ainda mais reduzida que o 5G nas frequências mais comuns.

Parece que 2020 será um bom ano para saltar a troca do iPhone, e aguardar pelo iPhone 13 do próximo ano - isto se a Apple não ceder às superstições e aproveitar a oportunidade para trocar a designação dos iPhones (o iOS 13 não foi particularmente feliz).

3 comentários:

  1. Honestamente a killer feature seria um aumento da duração de bateria, 120Hz para mim é um gimmick e o 5G vai demorar a tornar-se útil. Mas tendo que escolher uma certamente que o 5G é a opção mais interessante por questão de future-proofing.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já usou algum smartphone com 120hz?
      Eu acho que não, pq mau temos 4g em lugares um poucos mais afastados do centros urbanos, imaginem 5g o tempo que vai demorar até pelo número bem maior de antenas necessários.
      5G pra Portugal por exemplo é pra esquecer, não deve sair antes de trocar por pelo menos mais uma vez de smartphone.
      Depois que usamos 120hz os 60hz parecem estar todo lagado o telemóvel, dá agonia ver aquilo rolando aos arranquinhos.

      Eliminar
  2. Eu não consigo entender como a companhia mais rica do planeta não investe mais em I&D na área das baterias para de uma vez por todas termos telemóveis que durem pelo menos 1 semana sem necessidade de carregamentos. Quem conseguir desenvolver uma tecnologia de baterias com longa duração e fiáveis certamente terá o domínio do mercado.

    ResponderEliminar

[pub]