2021/04/11

Telescópio James Webb terá que superar piratas para chegar ao espaço

O telescópio espacial James Webb aproxima-se finalmente da sua data de lançamento, mas antes disso terá que superar mais um obstáculo: escapar a potenciais ataques de piratas.

O James Webb Space Telescope (JWST) sofreu atrasos atrás de atrasos. Basta relembrar que em 1997 o plano era que este telescópio espacial seria lançado em 2007, e desde essa data, ano após ano, a data foi derrapando - e o orçamento também: o orçamento inicialmente previsto de 500 milhões de dólares já superou os 10 mil milhões de dólares! Mas, como se não fosse já suficientemente arriscado tudo o que pode correr mal no decorrer da missão, há ainda um problema adicional com o transporte do JWST para o local de lançamento.

O JWST vai ser lançado por um foguete Ariane a partir da Guiana Francesa, e surgem preocupações com potenciais ataques de piratas durante o transporte do gigantesco telescópio que terá que ser transportado por um navio.
Seria bastante infeliz que um projecto que demorou mais de duas décadas e milhares de milhões de dólares nem sequer chegasse à plataforma de lançamento e fosse tomado refém (ou destruído) por piratas. Por isso, irá contar com fortes medidas de protecção durante a viagem, cuja data permanecerá secreta.

Quanto a nós, só queremos ver o JWST no espaço e em funcionamento, e ver as fantásticas imagens que irá captar do universo, fazendo com que o Hubble pareça um telescópio de brincar.

5 comentários:

  1. Considere colocar Guiana Francesa em vez de Guina.

    ResponderEliminar
  2. Será que o SpaceX não o poderia fazer ?!

    Com tanta frota de porta aviões, não haverá problema algum...

    ResponderEliminar
  3. Que coisa tão (NÃO) importante.
    Pode ser que apanhe uma qualquer tempestade ou uma onda provocada por um meteorito e desapareça... mas não estou esperançoso.

    ResponderEliminar
  4. Finalmente, o grande dia está prestes a chegar.

    Será sem dúvida alguma um dos maiores passos para a ciência humana das últimas décadas, com evidente destaque para a astronomia, como é óbvio.

    ResponderEliminar

[pub]