2021/06/27

VW abandona motores a combustão na Europa em 2035

A VW revelou que planeia abandonar a venda de veículos com motor a combustão na Europa em 2035. Uma meta que parece pouco ambiciosa, mas será - provavelmente - mais realista do que avançar com datas mais próximas que não seriam para cumprir.

A VW tem feito forte aposta nos automóveis eléctricos como forma de tentar fazer esquecer o escândalo dieselgate, mas mesmo assim parece estar consciente das dificuldades de fazer a transição completa para os automóveis eléctricos. Por isso mesmo anuncia que só lá para 2035 é que deverá deixar de vender carros com motores a combustão.

É um prazo que parece demasiado distante mas, se as coisas correrem bem, até pode ser que acabe por ser revisto para uma data mais próxima, especialmente se os próprios consumidores fizerem pressão e deixarem de procurar carros a combustão, optando pelos eléctricos que, pelo menos por agora, ainda poderão recarregar gratuitamente se combinarem o investimento no carro com o investimento em painéis solares - mas já se sabendo que com a redução do consumo de combustíveis (que, diga-se: tem estado a valores absurdos e aparentemente sem que ninguém se incomode com isso) é garantido que iremos ter algo como uma taxa por km nos carros eléctricos.

Resta apenas esperar que desta vez a conversa seja bem diferente daquela que também tivemos cá em Portugal a prometer grande aposta nos automóveis eléctricos no princípio deste século, e que nunca se veio a concretizar em qualquer mudança efectiva. Não seria bom se toda esta transição para os eléctricos já tivesse sido feita há duas décadas atrás? Mas, se podendo voltar atrás no tempo, mais vale começar hoje do que deixar para amanhã.

6 comentários:

  1. Não acho que seja pouco ambiciosa.
    É uma meta realista no mínimo!
    Tem de existir carregadores rápidos em cada posto de gasolina, os carros tem de ser mais baratos e ter maior autonomia, desenvolvimento tecnológico nas baterias.
    Sem contar que a rede eléctrica tem de estar preparada pra aguentar com todo o parque autómovel do país.
    Ou seja a meta não é só dá VW

    ResponderEliminar
  2. Quando fazemos contas à balança dos custos de um carro a combustão vs um carro eletrico muito raramente é considerado o real custo que um motor a combustão pode ter na saúde das pessoas e ambiente.. Isto acontece porque esse custo está escondido e pode não ser deduzido de imediato, mas quando vimos que uma percentagem de cancros são imputareis à respiração de partículas produzidas por veículos a combustão (principalmente a gasóleo) talvez seja mais fácil justificar pagarmos um pouco mais para usarmos um veiculo eletrico e pouparmos na saúde de todos a longo prazo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um pouco à semelhança do que acontece quando ilegalmente retiram o filtro de particulars ou catalisador para não ter de pagar um custo de substituição do mesmo quando começa a dar problemas..

      Eliminar
    2. Ninguém quer saber se justifica pagar mais pela saúde de todos, não sejamos hipócritas queremos é saber da nossa carteira!

      Eliminar
  3. Pela conversa que tive com um instalador de painéis solares há relativamente pouco tempo, ou se tem algo para armazenar a energia que é produzida durante o dia, para que a possamos usar durante a noite, ou simplesmente estaremos a injetar essa energia na rede sem nenhum/pouco proveito próprio...

    ResponderEliminar
  4. "Não seria bom se toda esta transição para os eléctricos já tivesse sido feita há duas décadas atrás?"

    Não.
    Se tivéssemos trocado os carros há 2 décadas, para carros com autonomia tão baixa que só serviam para ir ao lidl, mais vozes se levantariam ontra os carros elétricos.
    A tecnologia elétrica só agora começa a maturar.

    ResponderEliminar

[pub]