2021/08/12

Análise aos Huawei FreeBuds 4


À tentar um novo rumo nos smartphones sem acesso às apps Google, a Huawei mantém a sua aposta no segmento dos wearables, renovando os seus auriculares enquanto testa o segmento premium com os FreeBuds Studio. Os controversos FreeBuds 3 dão lugar aos novos FreeBuds 4, os seus mais recentes auriculares in-ear.

Unboxing


A caixa segue o empacotamento que a marca tem vindo a utilizar para esta tipologia de produtos, com um pequeno quadrado de cartão.


Na traseira, algumas informações técnicas sobre o equipamento. De salientar, a presença de um código QR, que será referido na secção relativa à utilização do equipamento.


Ao levantar a tampa da caixa, encontramos a caixa de carregamento/transporte.


Por baixo desta, o cabo USB para carregamento da caixa e a documentação técnica.


O conjunto não apresenta grandes luxos, limitando-se ao mínimos, sendo que em abono da verdade, até o cabo USB-C seria dispensável, pois nesta altura será algo que já deverá abundar nas gavetas dos consumidores. 

Os Huawei FreeBuds 4


Em termos de design, há uma clara continuidade, com a marca chinesa a limar apenas algumas arestas, não se afastando das linhas mestre que marcaram o modelo lançado no ano anterior.


A caixa, com um diâmetro de 58 mm e 38g (sem auriculares), apresenta o logótipo da marca na traseira, ao centro.


Na frente, um led de estado.


A porta USB-C para carregamento, mantém a posição na lateral da caixa.


Para abrir a tampa da caixa, basta um pequeno toque com o polegar. No sentido inverso, o polegar fecha a tampa, com um característico "clack" a dar conta disso mesmo. Com alguma prática, o polegar fará os dois movimentos com facilidade, algo que facilmente se poderá tornar num verdadeiro vício...

Os auriculares surgem mais uma vez num posicionamento que obriga a contorcionismos até chegarem à orelha do utilizador, havendo que executar um movimento de rotação em sentido inverso, para colocar o auricular na caixa.

A pressão em simultâneo do polegar, com o indicador no copo do auricular, permite retirar o mesmo da caixa com facilidade, acção que neste tipo de produto, nem sempre é prática, face à reduzida dimensão do equipamento.

Antes da primeira utilização, haverá que emparelhar os auriculares com o equipamento que irá emitir o sinal áudio. No caso dos equipamentos Huawei, já há algum tempo que esta acção se encontra altamente simplificada, bastando abrir a tampa da caixa, para que o smartphone/tablet reconheça a presença dos auriculares.


Tendo em conta a actual situação da marca chinesa no mercado mobile, aproveitámos a oportunidade para testar a fundo os auriculares com um smartphone de outra marca, no caso em questão, o Pixel 3a da Google, a correr Android 12 (beta).

O emparelhamento será iniciado com a pressão do botão na lateral da caixa, havendo que posteriormente aceitar a ligação no smartphone. Sendo um processo mais demorado, não deixa de ser simples e rápido de executar.

Emparelhados os auriculares, é possível passar à acção, ouvindo música, ou assistindo a um filme. O copo dos auriculares está ligeiramente mais pequeno, o que facilita a sua inserção na cavidade auricular, ao mesmo tempo que reduz o incómodo que o mesmo criava, passando a ser possível utilizar os auriculares durante um longo período de tempo, sem desconforto.


Embora fiquem mais soltos na orelha, os auriculares ficam equilibrados, não saindo do sítio durante a prática desportiva. O único inconveniente está nas mãos suadas, que terão alguma dificuldade em executar os gestos para controlo dos auriculares, havendo que os segurar, ao mesmo tempo que se executa o gesto, o que não é muito prático.


Estão disponíveis três tipos de gestos: duplo toque, tocar e manter a pressão e deslizar do dedo (swipe). O primeiro é configurável para os dois auriculares, podendo o utilizador optar por tocar/pausa, próxima música, música anterior ou chamar o assistente de voz. Quando em chamada, este gesto serve para atender/desligar uma chamada. O tocar e manter a pressão controla o cancelamento de ruído activo, permitindo ainda cancelar uma chamada. Por último, o gesto de deslizar o dedo, para ajustar o volume de som.

Esta informação e a configuração do duplo toque está disponível através da aplicação AI Life da Huawei, a qual pode ser descarregada da App Gallery ou do Google Play. A versão que está na loja da Google é antiga, não reconhecendo os novos auriculares da Google. Tendo em conta o actual panorama das relações Huawei - Google é bem provável que a situação demore a ser resolvida, o que terá motivado a marca chinesa a apostar em meio alternativos.


Na traseira da caixa e no manual, é apresentado um código QR que dá acesso ao download da aplicação Ai Life, via instalação da App Gallery ou através de download directo via browser, dispensando a instalação da loja da Huawei. Tendo em conta que os utilizadores já têm o Google Play, saúda-se o facto de a Huawei não forçar a instalação da App Gallery, dando ao utilizador a opção de não o fazerem, sem com isso saírem prejudicados em termos de funcionalidades ou updates. Estes últimos serão disponibilizados directamente, seguindo uma metodologia que já foi utilizada pelo Facebook para o mesmo efeito.


Sem a app, não vão conseguir configurar os gestos, melhorar o som (voz), configurar a ligação a dois equipamentos em simultâneo, saber onde estão os auriculares, equilização, controlar a reprodução de conteúdos ao retirar os auriculares da orelha ou receber actualizações de firmware, sendo estas razões mais que suficientes para o fazerem.


A possibilidade de saber onde estão os auriculares é uma das novidades deste produto, bastando que os mesmo estejam ligados ao smartphone ou tablet. Se for esse o caso, basta activar a funcionalidade e através de um som, poderão localizar os auriculares. Sendo um equipamento tão pequeno, facilmente ficam esquecidos, pelo que esta funcionalidade poderá ser bastante útil aos mais distraídos.

Em termos de qualidade de som, os FreeBuds 4 apresentam uma melhoria face ao modelo lançado em 2020. Continua no entanto a faltar alguma estrutura à melodia, para um som mais envolvente, sobretudo nos graves. Haverá no entanto que ter em conta que este nível de desempenho só será possível em zonas com pouco ruído. Se não for esse o caso, haverá que puxar pelo nível de som, sendo que nos transportes públicos, ou na prática desportiva não haverá muito a fazer. 


O formato do copo, aliado à ausência das borrachas que por norma se encaixam na cavidade auricular, acabam por ter dois inconvenientes: reduzem o nível sonoro e fazem com que o cancelamento de ruído não passe de uma limitada atenuação dos barulhos que nos rodeiam.

A autonomia está longe de encantar, sobretudo se tivermos em conta aquilo que outros produtos da marca conseguem disponibilizar, chegando com facilidade a um dia de trabalho sem ter de recorrer à caixa de carregamento. Se a este facto somarmos o baixo rendimento do cancelamento de ruído, o melhor mesmo será optar por o manter desligado, prolongando a utilização até às 4 horas, algo que irá permitir carregar os auriculares no intervalo do almoço.

Uma carga completa leva cerca de uma hora a completar, o mesmo tempo que a caixa necessita para carregar a bateria interna através do cabo USB-C. De referir que está disponível uma versão destes FreeBuds 4, em que a caixa suporta carregamento sem fios.


Apreciação final


Os FreeBuds 4 são a evolução natural dos FreeBuds 3, apresentando uma melhoria na qualidade sonora, assim como um maior conforto em utilização. 

O formato do copo, sem as habituais borrachas, pode ser mais bem conseguido em termos estéticos, mas o design está longe de compensar o desempenho global do produto, penalizando a estabilidade, qualidade sonora e o desempenho do cancelamento de ruído.

A autonomia está, também ela, longe de encantar, sobretudo se o cancelamento de ruído estiver activo, pelo que para incrementar o tempo de utilização, sugere-se que o mesmo seja desligado, algo que de resto acontece, sempre que ligam os auriculares.

Com um preço de 159,90 € na loja online da Huawei, os FreeBuds 4 ficam numa posição pouco confortável face à reconhecida qualidade dos FreeBuds Pro (149,90 €) ou a melhor relação preço/desempenho dos muito interessentes FreeBuds 4i (89,90 €), razão pela qual se ficam por um modesto Morno.



Huawei FreeBuds 4
Morno 

Prós
  • Qualidade de construção
  • Controlo do volume por "swipe"

Contras
  • Formato
  • Autonomia

Huawei FreeBuds 4

Morno (3/5)

1 comentário:

[pub]