2021/09/01

Opção FSD da Tesla escolhida por 11% dos compradores

Os automóveis da Tesla estão intrinsecamente associados ao modo FSD (Full Self Driving) de condução autónoma, mas a percentagem de compradores que paga por essa opção é extremamente reduzida.

Segundo os resultados de um inquérito que reúne dados de milhares de compradores de automóveis Tesla a nível mundial, a quantidade de pessoas que se deixa convencer pela capacidade de condução autónoma prometida (há anos) por Elon Musk é agora extremamente reduzida: apenas 11%, em contraste com os mais de 40% que tinha atingido em 2019, quando a Tesla transferiu funcionalidades de um modo para o outro.
As explicações possíveis são várias. A cada ano que passa começa a ser cansativo continuar a ouvir a promessa de que o modo FSD está para breve (alguns dos donos de Teslas já terão trocado de carro, sem nunca terem visto em acção a opção pela qual pagaram) - e claro que também não ajuda que a Tesla esteja continuamente a aumentar o preço da opção, que cá em Portugal agora custa €7500, face aos €3800 do Autopilot aperfeiçoado. E também se pode perceber esse aumento sabendo-se que o carro sai com o hardware completo, independentemente do utilizador pagar ou não pela opção (podendo optar por a activar mais tarde, com agravamento de preço).

O modo Autopilot aperfeiçoado inclui: navegar em piloto automático, mudança de faixa automática, estacionamento automático, Summon e Smart Summon; e o modo FSD continua a prometer a capacidade de condução autónoma total, com suporte para semáforos e sinais Stop, e condução automática em estradas de cidades. Funcionalidades que por agora só têm estado disponíveis no programa beta da Tesla nos EUA, para um número reduzido de pessoas. Também isso ajudará a explicar porque na Europa haverá menos pessoas que se deixam seduzir pelo FSD no momento do pagamento do que nos EUA.

Inevitavelmente, será uma questão de tempo até que o FSD fique disponível na Europa, mas continua a ser uma incógnita qual o valor que os compradores estarão dispostos a pagar. Será que pagarão pelo modo FSD se este custar 10 mil euros, ou 15 mil euros ou, como Elon Musk já referiu, aproximar-se quase do valor do carro? É algo que haveremos de descobrir, numa escala de tempo "para breve".

2 comentários:

  1. O custo do autopilot aperfeiçoado já deve cobrir os custos de hardware e chega para 89% do pessoal.
    Pessoalmente tbm seria essa opção que escolheria caso optasse por um Tesla.
    O FSD já não me convence e acho-o muito caro.

    ResponderEliminar
  2. Olhando para os tesla atualmente penso que o problema será outro. O FSD principalmente devido ao seu custo e à sua funcionalidade seria atrativo para um segmento premium/executivo que estariam dispostos a pagar por isto. No entanto, para o bem e para o mal, a tesla fabrica veículos "para todos" (excetuando o model S que está acima de 100.000€) e acaba por não ter um design nem um refinamento interior do que se chamaria uma classe executiva (a imponência exterior e interior e o detalhe de um mercedes nem se comparam) e neste segmento atual procura-se algo funcional e pronto a usar que não é o caso do FSD. Mas isto é apenas a minha visão do mercado e da tesla e dos designs, cada um terá a sua

    ResponderEliminar

[pub]