2021/10/08

Startup "soluciona" tempos de espera nos serviços telefónicos - inundando-os com chamadas

Uma startup norte-americana lembrou-se de uma "brilhante" ideia para resolver o problema dos tempos de espera ao telefonar para serviços como as Finanças, mas não vão acreditar qual é.

Ninguém põe em causa as inúmeras startups que criaram serviços e produtos de grande utilidade, mas há outras que demonstram uma forma de raciocínio que nos faz pôr em causa qualquer esperança no futuro da nossa espécie. A CallEnQ é um empresa norte-americana que parece ter conseguido fazer aquilo que todos desejavam: acabar com os tempos de espera nos telefonemas para serviços públicos que tradicionalmente podem fazer aguardar dezenas de minutos, ou horas, até se ser atendido.

Mas como é que conseguem tal proeza? É simples; têm sistemas automatizados que fazem chamadas "falsas" contínuas para todas as suas linhas, atulhando os serviços, e depois vendem o lugar de uma chamada prestes a ser atendida aos consumidores que compactuarem com este sistema e paguem para ser atendidos "na hora".


Ou seja, é verdadeiramente uma excelente ideia de negócio. Primeiro, cria-se o problema, inundando um serviço com chamadas telefónicas falsas, fazendo aumentar os tempos de atendimento e impedindo que um consumidor normal consiga sequer telefonar para lá; e depois vendem-lhe o acesso a um dos lugares que eles açambarcaram.

Infelizmente, este nem sequer é caso único, havendo outras empresas que têm usado tácticas idênticas, como sites de reservas em restaurante que fazem reservas falsas nos mesmos, para depois as revenderem por estarem os restaurantes "cheios" e sem poderem aceitar reservas legítimas.

Depois não culpem os restaurantes por não aceitarem reservas; ou um funcionário público que esteja completamente saturado por atender chamadas que são desligadas assim que atende...

2 comentários:

  1. Máfia do caraças... Resolvia-se cobrando a chamada, e devolvendo o valor no final.

    ResponderEliminar
  2. Eu uma vez ganhei um concurso na rádio local porque usei um truque parecido. Era um concurso de perguntas de cultura geral e ganhava quem tivesse mais perguntas certas. Sempre que se falhasse, dava lugar a outro. Ora, eu ainda tinha um telefone de roda. O truque era igual para quem usasse teclas, já que faziam os impulsos na mesma. Assim que alguém começasse a responder, começava a marcar o número e até ficar só com o ultimo pendurado. Se acertasse, desligava e recomeçava. Se falhasse, esperava 2 segundos, marcava o ultimo digito e estava sempre batido. Eram 5 contos numa marisqueira, só não ganhei na sexta porque me esqueci! Fui fazer uma mariscada do caraças com o meu pai.

    ResponderEliminar

[pub]