2021/11/02

Apple corta produção de iPads para ter chips para iPhones

A imunidade da Apple à escassez de chips parece ter chegado ao fim, com a empresa a cortar na produção dos iPads para dar prioridade aos iPhone 13.

O cenário da escassez de chips parece não ter fim à vista, e ninguém está imune. Depois de ter passado a maior parte do ano em aparente normalidade, enquanto muitos outros sectores já desesperavam com a falta de chips, também a Apple sucumbe a este problema - e tal como as outras empresas, tenta desenrascar da melhor forma possível. Enquanto em sectores como o da produção automóvel os fabricantes têm removido equipamento que era fornecido de série, passando-o a opcional, no caso da Apple a táctica por agora tem sido o de cortar na produção de iPads para ter componentes para os iPhones 13.

A produção de iPads nos últimos meses ficou 50% abaixo daquilo que deveria ter sido, o que também já dá uma ideia da escala do problema; e isto sem deixar de ter em consideração que a Apple será um dos clientes prioritários para os fornecedores, e que terá contratos "assegurados" de fornecimento de dezenas de milhões de componenentes... mas que de pouco servem quando, simplesmente, não há chips disponíveis.

Alguns analistas estimam que a Apple já terá perdido entre 6 a 10 mil milhões de dólares em vendas não concretizadas devido à redução da produção. E o mais preocupante é que ainda não existe "luz ao fundo do túnel" referente à regularização da produção de chips. Embora vários países e regiões, como os EUA e Europa, tenham ficado preocupados com esta dependência da produção de chips dos países orientais, qualquer medida de compensação - como a construção de novas fábricas de chips no ocidente - demorará quase meia década para dar frutos. Veremos se em 2022 as coisas se regularizam, ou se se irão agravar ainda mais.

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]