2021/11/21

Gmail tem limite de 1000 endereços de email bloqueados

Quem tiver uma lista de endereços de email que foi crescendo ao longo dos anos, poderá descobrir que o Gmail tem um limite de 1000 endereços que se podem bloquear - e não há muito a fazer após isso acontecer.

O Gmail surgiu como serviço de email revolucionário (na altura), mas agora, para além de parecer ter ficado parado no tempo, começa também a mostrar o peso da idade e a revelar algumas das limitações atingidas por um serviço que vai acumulando anos de funcionamento. Embora a detecção de spam consiga manter a maior parte do lixo fora das caixas de correio, quem der uso frequente à funcionalidade de bloquear endereços de email poderá descobrir que o Gmail tem um limite máximo de 1000 endereços de email que se podem bloquear.

Mil endereços podem parecer muitos, mas acabam por não o ser para quem tem que lidar com dezenas ou centenas de empresas de relações públicas (ou outras) ao longo de anos. E a forma alternativa de tentar obter o mesmo resultado usando filtros torna-se bastante mais trabalhosa - e inevitavelmente irá seguramente demonstrar que também há limites para os filtros que se podem aplicar.


Infelizmente, este não é o único caso da Google ser incapaz de lidar com o peso da carga que se vai acumulando ao longo dos anos. Quando a Google remodelou o editor do Blogger (a plataforma onde o Aberto até de Madrugada está alojado), o interface era incapaz de lidar com blogs que tivessem milhares de labels acumuladas ao longo dos anos, fazendo com que o browser "encravasse" por dezenas de segundos sempre que se tentasse seleccionar uma label para aplicar num artigo. Em vez de resolver o problema, a sua "solução" foi simplesmente desactivar o auto-complete das labels em blogs com mais de 10 mil labels - olhem se a Google achasse que devia fazer o mesmo para os resultados das pesquisas: "são mais de 10 mil, desculpem lá mas não podemos mostrar!"

Infelizmente, ao contrário do que aconteceu quanto o Gangnam Style ultrapassou o limite do contador do YouTube na altura, não é de prever que o Gmail ou Blogger façam qualquer correcção rápida para estes casos. E o mais preocupante é que, à medida que os anos vão passando, serão cada vez mais os utilizadores a baterem nestes e outros limites nos diversos serviços que utilizam.

1 comentário:

  1. O Gmail foi uma ferramenta revolucionária, mas concordo que "parou no tempo". A app para Android tem imensas funcionalidades em falta, e não me importava até de pagar uma fee simbólica, tipo 1€/mês para obter mais funcionalidades que realmente necessitamos.
    Carlos, em relação à plataforma Blogger, quando é que o aberto até de madrugada migra para um CMS mais moderno que permita que a marca e o respectivo site disparem?

    ResponderEliminar

[pub]