2021/12/14

Os abusivos comerciais "da fibra"

As tácticas agressivas dos comerciais das operadoras de telecomunicações estão a chegar a níveis verdadeiramente abusivos.

Já faz parte da rotina semanal ter que limpar a caixa do correio de uma meia-dúzia de panfletos de todos os operadores, rabiscados pelos comerciais com um "contacte-me para aderir ou para mais informações". No entanto, há alguns que estão a optar por tácticas mais pró-activas, que começam a ultrapassar a linha do que será desejável ou aceitável - e desta vez aconteceu comigo.

Tocam-me à campainha da porta (de alguma forma já se tinham infiltrado no prédio, onde existe a indicação de que não se deve abrir a porta a "comerciais") e quando pergunto quem é, recebo logo o primeiro sinal de alarme: "Somos do departamento de qualidade da fibra!" - com ênfase no 'da fibra' como se isso fosse um qualquer salvo-conduto que devesse dar acesso imediato a qualquer lugar. Entreabro a porta para ver a criatura, pedindo simpaticamente para repetir: "Desculpe. De onde?" E, novamente, com grande convicção, me é dito que são do "departamento da fibra".

Ora, escusado será dizer que logo vi que a coisa não ia correr bem, mas adiante. Logo de seguida veio a rotina habitual, perguntar o nome (que não dei) e tentar pescar que serviço tinha, usando um "Sabemos que o senhor já tem serviço, certo?" que também não confirmei nem neguei, dizendo que "se são do departamento 'da fibra' já deverão saber se tenho ou não, não é?" Nesse momento, reconhecendo que não iriam ter grande sorte comigo, puseram uma cara de amuados e viraram costas sem sequer se despedirem.


A pessoa em questão não se identificou nem não tinha qualquer indicador visível quanto à operadora que representava - e isso, por si só, para além de ser um sinal de alerta, deveria ser algo ilegal. Mas as situações abusivas não se limitam aos vendedores porta-a-porta, também são praticados directamente pelos comerciais das próprias operadoras via telefone.

Por altura de uma renovação, fui contactado por um comercial da operadora, que me estava a propor novas condições, e quando pedi que mas enviassem por email para as poder analisar, me disseram que "não podemos, é algo que só podemos dizer por telefone por ser uma oferta promocional especial". É, novamente, um sinal de alarme, que infelizmente se veio a comprovar como receava: a oferta era a de passar para tráfego móvel ilimitado (o que me interessava) - mas quando disse que sim, milagrosamente disseram que iam enviar as condições por email (ah, afinal já podem!) Só ao ler essas condições é que descobri o "senão" da proposta: o tráfego passava a ilimitado, mas a velocidade dos dados (actualmente ilimitada) passava a ser de apenas 10 Mbits, caindo para 5 Mbits após 100 GB. No meu caso, prefiro 20 GB de dados móveis sem limitações de velocidade, do que ilimitado a "conta-gotas". E, felizmente, em vez de ter que perder tempo a cancelar, limitei-me a não activar a nova oferta, com direito a novo telefonema no dia seguinte a perguntarem porque ainda não a tinha activado, e onde pude explicar o desagrado com o procedimento.

Caras operadoras de telecomunicações, estas pessoas são aquelas que servem de "rosto" da vossa empresa. Ao tratarem assim os clientes e / ou potenciais clientes, não esperem usufruir de qualquer simpatia por parte dos mesmos.


P.S. - Obviamente, há pessoas nestas empresas que têm melhor consideração na forma como lidam com os clientes; e, nalguns casos, estes comerciais acabam por estar limitados a seguir o procedimento que lhes é apresentado no seu ecrã. Mas isso não desculpa tudo, muito menos o episódio inicial que contei, e que me fez partilhar toda esta situação.

10 comentários:

  1. Nao desculpabilizando o sussecido isso acontece porque os operadores ganham comissoes pelas vendas. O que leva a que queiram é vender e o resto pouco importa , a semana passada aconteceume o mesmo com a moche o operador cheio de pressa a vender a conversa era que era so 2 minutos e e foi pouco mais que isso, entre comeca logo por dizer que pagava x quando pagava menos do que o que ele me impigia mas foi tudo tao rapido que não dava muito para confirmar tudo ... Resumo escrevi no livro de reclamaçoes online e foi tudo revertido ... Ops alguem perdeu a comissão

    ResponderEliminar
  2. O que contas já me aconteceu umas 2/3 vezes. Até já me disseram um simples "Vim da parte da fibra" (como se a "fibra" fosse uma entidade).
    Pelo que percebi são entidades/pessoas que trabalham com várias operadoras e quando dizemos que estamos mal com o serviço que temos, eles vendem-nos um de outro operador.

    É muito fácil entalar essas pessoas, mas muitas delas conseguem de facto sacar contratos de pessoas mais incautas. Apresentam-se como uma espécie de entidade imparcial não vinculada a nenhum operador, mas acabam por fazer o contrato com um deles.

    ResponderEliminar
  3. Bem sei que muita gente não sabe mas os comerciais são obrigados a vir identificados ou a identificarem se aos clientes (dizendo o nome e a operadora) quando se apresentam as portas dos clientes. (Pelo menos é o que diz a lei sobre contratos a porta ou mesmo pelo telefone)

    Quando isso não acontece vocês tem duas soluções: recusarem se a dar informações com a permissa que iram notificar as autoridades ou caso se identifiquem mas não tem umas credenciais visíveis pela operadora para quem estão a trabalhar, devem notificar a ANACOM e/ou a operadora em questão sobre essa prática abusiva, correndo o risco de uma coima.

    ResponderEliminar
  4. Já aconteceu com o meu pai ser seduzido por uma oferta em que ia baixar o valor mensal, tendo assinado e preenchido tudo, e quando chega a fatura em vez dos 13,50 cobraram 64,50. Demorei quase 4 meses para reverter a situação, porque o agente falsificou a assinatura do meu pai e queria-me obrigar a enviar os comprovativos - duplicado em papel quimico, mas que no processo de digitalização ficavam em branco. Lá consegui, após muita reclamção, enviar uma foto e cancelaram tudo. Mas sim, cometeram 1 crime para poderem ganhar meia dúzia de trocos de comissões. E n fosse a minha insistência e recusa em pagar, bem que o meu pai tinha pago tudo

    ResponderEliminar
  5. Até a Deco anda nisto. Fiz uma simulação de seguro de saúde na Deco. No dia a seguir tinha uma chamada deles a tentar impingir-me a adesão à ProTeste. Quando disso mandem-me as condições por email para que possa analisar. "Ah e tal não podemos fazer isso"... Se até a DECO pratica isto, como podemos esperar que as empresas não façam igual ou pior?

    ResponderEliminar
  6. "Até a Deco anda nisto."
    A DECO há muito que deixou de ser uma associação de consumidores. Eu fui sócio uma dúzia de anos, até me deparar com situações iguais às empresas sem escrúpulos que deveriam combater.
    Há mais associações de consumidores, e outras formas de combater abusos.

    ResponderEliminar
  7. No meu caso, já tive vários vendedores da banha da cobra mas por parte das empresas de energia, esses também utilizam esquemas bem piores, levam pessoas a assinar contratos sem saber, chegam a casa dos clientes a dizer que são da EDP fazem umas perguntar básicas e depois pedem uma assinatura e está o contrato feito, isso aconteceu com uma colega de trabalho, e só reparou quando chegou o final do mês e a carta recebida não era da EDP.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. aconteceu aos meu sogros, aproveitaram que sao pessoas na casa dos 70+, disseram que eram da luz a ver se podiam ver uma fatura, mes a seguir passaram da edp para a endesa.

      Eliminar
  8. Isto é o que as TVs (especialmente "CMtv") deveriam expor ao máximo.

    Quantos mais programas de Cristinas, Fátimas, Baiões e companhia com conteúdos de real treta teremos de aturar...?

    Os nossos idosos mereciam um melhor serviço público de TV onde este tipo de situações fosse exposto ao máximo possível.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Infelizmente os noticiários atualmente são até roteiros culturais. Querem-me dizer que sinceramente não há notícias e que têm de passar uma reportagem sobre o turismo num qualquer local em Portugal ou sobre um restaurante em Portugal...ou até o roteiro da Nacional 2. Sem falar que agora com a moda da Fórmula 1 todos os dias são desculpa para passar uma entrevista de algum piloto

      Eliminar

[pub]