2022/01/20

iSIM elimina o espaço ocupado pelo eSIM

A Vodafone, Qualcomm e Thales demonstram o funcionamento de um iSIM, a evolução dos eSIM.

Desde o lançamento dos primeiros cartões SIM - originalmente com um tamanho idêntico ao de um cartão bancário(!) - que os cartões SIM têm vindo a encolher, com cada milímetro poupado a ter grande valor para os fabricantes de smartphones, ansiosos por aproveitar cada fracção de espaço que consigam arranjar. Depois dos cartões nano-SIM a evolução tem sido para os eSIM, com chip SIM integrado directamente no equipamento e dispensando a necessidade da gaveta para o cartão, e o que se segue é o iSIM.

O iSIM é funcionalmente idêntico ao eSIM, com a diferença a ser a integração das funções do SIM num chip já existente em vez de necessitar de um chip separado para isso.
Com isto, ter comunicações celulares passa a ser algo que não obriga a qualquer espaço extra adicional para o SIM, podendo estar incluído de origem no chipset.

Resta agora que os operadores de telecomunicações se adaptem a esta era dos eSIM e iSIM, para que a sua utililzação prática pelos utilizadores, a nível de transferirem de um smartphone para outro, ou usarem "cartões SIM" temporários, possa ser tão prático, rápido, e versátil como o era com os cartões SIM físicos.

1 comentário:

  1. Tudo mto bonito, mas depois n vale a pena termos esims e isims e depois nos imporem custos aquando de uma "2ª via" para se por num novo tlmv, como acontece cá em Portugal...

    ResponderEliminar

[pub]