2022/02/11

Análise ao Huawei MateView


Em fase de reorganização e experimentação de novos segmentos de mercado, a Huawei vai apostando em produtos que não fiquem limitados pelo bloqueio imposto pelos EUA, como é o caso dos monitores. Este monitor MateView serve de exemplo de como a marca se quer assumir em sectores habitualmente dominados por outras marcas.

O Huawei MateView


O design minimalista é o primeiro grande destaque. Quem passa por perto, não vai ficar indiferente às linhas rectas, duras, bem definidas, com o monitor a apresentar uma postura forte, até mesmo rude, mas sempre com elegância. O tom cinza claro foge ao tradicional preto fosco, contribuindo para um aspecto esbelto desde o painel, até ao suporte, com o primeiro a dominar claramente, com toda a imponência das suas 28.2", num rácio de 94% da área visível versus ecrã mais moldura. 


O painel IPS HDR 400 do Mateview, suporta uma resolução de 3.840 x 2.560 pixeis a 60Hz, numa relação de imagem 3:2 com 500nits de brilho e contraste1.200:1. A relação de imagem 3:2 é particularmente interessante para um ambiente de trabalho, com o aumento da área de visualização em altura, a possibilitar a exibição de mais conteúdos. A gama de cores DCI-P3 a 98% permite uma boa qualidade de imagem, com tons fortes e quentes, havendo apenas que contar com os reflexos nos locais mais iluminados. Além da taxa de actualização de apenas 60Hz, a classificação energética "G", fica aquém do esperado.



Acompanham o monitor, 1 adaptador de corrente USB-C de 135 W, 1 cabo miniDP para DP, 1 cabo USB-C para USB-C,1 guia de início rápido e 1 cartão de garantia.


A simplicidade de linhas domina todo o equipamento. Na traseira, o braço rectangular corta o painel a meio, apresentando na parte inferior uma porta USB-C para carregamento do monitor (135W), uma porta HDMI 2.0 limitada a 3.840x2.560 a 50 Hz e uma porta MiniDP (DP1.2). 


Se deslocarmos o ecrã na vertical, surge o logotipo da marca, gravado a cinza prateado, havendo para tal que remover a peça de travamento que protege o ecrã. Este movimento vertical pode ser efectuado com recurso apenas um dedo, havendo apenas que ter o cuidado de efectuar o movimento na zona da smart bar.


Na lateral direita do braço, as restante ligações, com duas portas USB-A 3.0, uma porta USB-C que permite a transferência de dados e imagem, permitindo igualmente o carregamento até 65W, um jack de 3,5mm para microfone e auriculares e o botão ligar/desligar. Este posicionamento lateral facilita a ligação dos cabos, não obrigando a grande amplitude de movimentos, bastando estender o braço para esse efeito.



A coluna de som com 2 x 5 W (potencia nominal) apresenta-se instalada na zona inferior da frente do braço. Nesta zona, a base apresenta um sinal para a sincronização de equipamentos através de NFC.



O braço está ligado ao ecrã através de um bloco oscilante, também ele bem conseguido em termos visuais. Em termos de ajuste de posição, é possível um juste de altura de 110 mm (±5 mm) e inclinação
-5° a 18° (±2°) para a frente e para trás. Não é possível rodar o monitor, ficando por isso inviabilizado um posicionamento em modo retrato.


A reduzida espessura do ecrã, é acompanhada por margens igualmente reduzidas, permitindo o rácio de 94% acima referido. 


Na zona inferior do ecrã, a meio do mesmo, a smart bar, que permite um controlo simplificado das definições, através do toque, ou deslizar do dedo. 



É possível seleccionar a fonte de imagem, controlo da projecção de imagem sem fios e ajuste das definições, sempre através do toque/deslizar de um ou de dois dedos na smart bar.
  • Um clique para confirmar
  • Um clique para retroceder
  • Atalho 1: deslizar com um dedo para ajustar o volume
  • Atalho 2: deslizar com dois dedos para alternar entre entradas

A possibilidade de projecção de imagem sem fios é um extra pouco visto neste tipo de equipamentos. A utilização de um portátil com este Mateview torna-se assim bastante prática, sendo igualmente interessante para utilização com os smartphones, particularmente os da Huawei, com a EMUI a ser apresentada em modo Desktop, podendo ser controlada com um teclado e rato, transformando o conjunto num equipamento de trabalho. 


De referir que esta funcionalidade também poderá ser utilizada com equipamentos que permitam efectuar "screencast", como é o caso do Oppo Reno6 Pro 5G.

Apreciação final



A diversificação do ecossistema da Huawei começa a dar frutos, com o utilizador a passar a estar no centro das atenções, tendo à sua volta um conjunto de produtos que lhe possibilita um dia-a-dia mais conectado. O smartphone (por forma da situação?) deixa de ser o elemento central, dando lugar ao utilizador, sem contudo perder o foco na simplicidade de processos, mais visível quando se trata de produtos made in Huawei.

Este monitor MateView é disso exemplo, com a ligação sem fios a poder ser utilizada por smartphone, tablets ou portáteis, ficando o utilizador com múltiplas opções, sem necessidade de andar a ligar cabos. A barra inteligente, permite um controlo simplificado do monitor, através do clique ou deslizar dos dedos. Haverá contudo de contar com a curva de aprendizagem e sobretudo com a retenção da informação, pois não mexendo nas definições, é bem provável que o sistema de adivinhação entre em acção. 

Com um preço recomendado de 699€, pode nesta altura ser encontrado em promoção por 549€, sendo uma opção para quem procura um monitor para trabalho, dá primazia ao design, dispensa cabos e não é amante dos jogos. Num cenário destes, o Huawei MateView é claramente merecedor de um desejado "Escaldante".


Huawei MateView
Escaldante

Prós
  • Design
  • Funcionalidades sem fios

Contras
  • Apenas 60Hz
  • Não permite orientação na vertical 
  • Preço
  • Classificação energética G

Huawei MateView

Escaldante (5/5)

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]