2022/02/13

Fabricantes automóveis boicotam direito à reparação desactivando funcionalidades nos EUA

Nos EUA a guerra pelo "direito à reparação" está a complicar a vida aos consumidores, devido ao boicote de alguns fabricantes automóveis nalguns estados.

Quem comprar um Subaru ou Kia no Massachusetts irá ter a má surpresa de não poder usufruir de funcionalidades como o arranque remoto, serviços de emergência, ou alertas para manutenção, que estão disponíveis em estados vizinhos. Isto porque as marcas têm retaliado contra legislação do "direito à reparação" que exige que os fabricantes permitam que oficinas não oficiais tenham acesso à informação e sistemas de modo a fazerem manutenção e reparações.

É uma guerra que dura há algum tempo mas que se prevê que ainda vá durar muito mais, especialmente tendo em conta que os automóveis se têm tornado em verdadeiros computadores sobre rodas, e em que as questões mecânicas começam a dar lugar a muitas outras preocupações de privacidade e recolha de dados.

Um carro é hoje em dia uma plataforma de câmaras sobre rodas, e que pode recolher informação valiosa não só sobre os hábitos do condutor e passageiros, mas também sobre o mundo em redor (condições do piso, do estado do tempo, do trânsito, etc. etc.) Informação que, à semelhança do que acontece com o tracking na web, ou nos dispositivos móveis, se pode tornar extremamente valiosa para ser compilada pelos fabricantes e vendida para inúmeros fins.

Felizmente na Europa já superamos essa questão do direito à reparação nos automóveis, mas ainda teremos que lidar com essa vertente da recolha e acesso aos dados. Veremos é se por cá também teremos marcas a tentar fazer boicote removendo funcionalidades avançadas - se bem que, por cá já temos marcas a cobrarem subscrições para virar as rodas.

1 comentário:

  1. e nao fossem as marcas contra alguma coisa que lhe empeça de chular mais dinheiro aos clientes!!!

    ResponderEliminar

[pub]