2022/03/08

Rússia "legaliza" pirataria de software

Sendo alvo de cada vez mais sanções e saída de empresas e serviços - por causa da invasão da Ucrânia - a Rússia responde legalizando a pirataria de software ocidental.

Com empresas como a Microsoft, Cisco, Oracle (e muitas outras) a supenderem as vendas e actividade na Rússia, o governo de Putin responde agora da maneira que já era previsível, legalizando a pirataria de software.

Esta legalização surge sob a forma de um "mecanismo unilateral de renovação de licenças", que funcionaria de forma completamente independente da empresa detentora dos direitos do software, e que se aplicaria contra qualquer empresa de um país que tenha suportado sanções contra Rússia (como os EUA). No entanto, este sistema aplicar-se-ia apenas a produtos para os quais não existisse software russo alternativo - embora não seja de esperar que as autoridades russas fossem levar esse requisito muito a sério, tal a posição que têm assumido.

Embora da parte do software isto permita à Rússia continuar a funcionar sem se preocupar com a legalidade, a Rússia em breve enfrentará também dificuldades na obtenção do hardware, já que também a Intel, Nvidia e AMD suspenderam as vendas no território. A Rússia tem tentado desenvolver os seus próprios CPUs para reduzir a dependência nas empreas norte-americanas, mas os resultados não têm sido muito positivos. Além disso, enfrentará também dificuldades em obter todos os demais chips e componente que seriam necessários para a produção de computadores próprios.

Por outro lado, mesmo com carta branca para piratear software ocidental, os russos poderão em breve nem sequer o conseguir fazer, já que parece estar para breve o isolamento da "internet russa" da internet do resto do mundo.

2 comentários:

  1. Com iniciativas como esta, duvido que os países do ocidente alguma vez voltem a colocar confiança em governos russos.

    ResponderEliminar

[pub]