2022/05/27

Análise ao vivo Y76


Presente no mercado nacional através das operadoras, a vivo entra agora no mercado de consumo com dois novos equipamentos, os V23 5G e Y76 5G, sendo este último o equipamento em análise.

Unboxing



Na caixa, em primeiro plano, um retângulo de cartão, com alguns acessórios. O smartphone, envolto numa película de plástico, surge num segundo plano.


Por baixo do equipamento, os restantes acessórios.


Carregador, clip para instalação dos cartões SIM e SD, cabo USB-C, auriculares, documentação de referência e uma sempre útil capa de silicone.


O carregador disponibiliza uma potência de carregamento máxima de 44W, numa relação de carregamento de 11V/4A.


O corpo, com apenas 7,8mm (não contando com a saliência do bloco de câmaras), associado à curvatura da traseira, possibilita um bom encaixe na mão.


O conforto em utilização só não é de excelência, devido ao anel que protege o ecrã a toda a volta, algo que já não é habitual de se encontrar no segmento de preço onde este Y76 se insere.

Não sendo esteticamente bonito, é contudo bastante útil em termos de resistência, melhorando a capacidade de sobreviver a um inusitado impacto, como foi o caso de um embate no chão (azulejo), depois de um mergulho de 50cm, onde apenas se registou uma marca mínima no anel.


Na lateral inferior, uma já pouco usual entrada para um jack de 3,5mm, onde poderão ligar os vossos antigos auriculares favoritos, um micro, entrada USB-C e uma grelha para a saída de som.


Do lado oposto, outro microfone e o slot para os cartões SIM/SD.


À direita, os botões de volume e on/off, sendo que este último tem o sensor de impressão digital incorporado.


A traseira está bem conseguida em termos estéticos, com o efeito gradiente azul-rosa a fazer variar a cor apresentada em função da orientação do smartphone. O bloco de câmaras surge no canto superior esquerdo, num arranjo vertical.

Especificações

  • Processador: Mediatek Dimensity 700
  • Octa-core (2x2.2 GHz Cortex-A76 & 6x2.0 GHz Cortex-A55)
  • Mali-G57 MC2
  • Ecrã: LCD 6.58" com resolução 2408×1080 (FHD+)
  • RAM: 8GB
  • Armazenamento:128GB (versão testada - 256GB versão no mercado nacional)
  • Bateria: 4100mAh
  • Câmaras
    • Traseira: f/1.8(50MP) + f/2.4 (2MP)+ f/2.4(2MP)
    • Fontal: f/2.0(16MP)
  • Comunicações
  • Wi-Fi2.4GHz / 5GHz
  • Bluetooth 5.1
  • 1 Nano SIM + 1 Nano SIM / Micro SD
  • Software: Funtouch OS 12(Basedo no Android 12)
  • Cores:
    • Midnight Space
    • Cosmic Aurora

Em utilização

Longe vão os tempos em que um processador MediaTek era motivo suficiente para descartar o smartphone. Desempenho e consumo revistos e melhorados, fazem da linha de processadoresDimensity, uma opção a ter em conta em todos os segmentos de mercado.

A autonomia foi uma verdadeira surpresa, com o Y76 a conseguir chegar ao final do dia com 50% de carga, para quatro horas e meia de ecrã, muitas vezes com o brilho no máximo, devido ao impacto da luz solar no ecrã.



Esta utilização foi limitada a navegação na internet e redes socias, pelo que os fãs de jogos, deverão contar com uma autonomia inferior, ainda assim, suficiente para chegar confortavelmente ao fim do dia com bateria disponível para uma noitada, pois o consumo de bateria intensifica-se com o tempo de jogo.


O facto de chegar ao final do dia com mais de 50% de carga, levou a procurar uma tipologia de utilização diferente, por forma a averiguar até onde poderia o Y76 chegar. 3 horas de navegação com Waze (GPS), em conjunto com a referida navegação na internet e consulta das redes sociais, perfizeram mais de 7 horas de ecrã ligado, sendo este um desempenho de excelência, limitado a um restrito grupo de equipamentos, onde este smartphone da vivo passa a marca presença


O smartphone suporta carregamento rápido através do sistema FlashCharge, o qual disponibiliza uma potência máxima de 44W, o que possibilita um carregamento completo em pouco menos de uma hora (55mim), bastando 22 minutos para chegar aos 50% de carga da bateria com 4100mAh.









No que diz respeito a desempenho, o Y76 cumpre, embora sem deslumbrar, devido à performance do armazenamento, sobretudo nas ações de escrita de dados. A velocidade de leitura também não é fantástica, com o carregamento de jogos como o PUBG a levar o seu tempo.


O ecrã LCD apresenta uma boa qualidade de imagem, conseguindo igualmente um bom desempenho sobre forte luz solar, se bem que alterando o preto para cinzento. Caso não gostem do tom das cores, podem sempre recorrer às duas opções extra nas definições, onde também têm a possibilidade de ajustar a temperatura da cor.

Avaliação menos positiva para o WiFi, com dificuldade em identificar uma rede com baixo sinal, demorando a efetuar a transição para uma mais forte, algo que poderá ser um incómodo, quando mudarem de divisão (tendo vários pontos de acesso).

Outro aspecto a rever, prende-se com a utilização de auriculares. Se a entrada para um jack de 3,5mm pode ser vista como uma mais valia, já o facto de os auriculares USB-C não serem reconhecidos, aguarda uma possível atualização de firmware, para correcção da situação.


O sensor de impressão digital apresenta-se na lateral, algo que é pouco habitual, pelo que poderá levar algum tempo até que se habituem ao posicionamento do mesmo. Em termos de desempenho, é rápido e preciso na leitura da impressão digital, permitindo desbloquear o smartphone com facilidade e rapidez.

Os 8GB de RAM são suficientes para manter várias aplicações a correr em segundo plano, sendo que possibilidade de estender a RAM através do armazenamento, aumenta a capacidade de gestão da apps.



Em termos de software, o FunTouch OS 12 cumpre o prometido pela marca, com a simplicidade a ser a norma, não existindo uma forte customização da interface.


Interface vivo / Android 11 / Android 12

O grafismo utilizado necessita contudo de ser revisto, visto apresentar um layout já ultrapassado, que não consegue (por exemplo) tirar partido da gestão de cores que o Android 12 disponibiliza, sendo ainda mais notório no menu de atalhos rápidos.


Antes do update / depois do update / alteração da cor em função do wallpaper

A situação poderá ser revista numa próxima atualização, como aconteceu com o update de Abril, passando a existir uma opção para a escolha de um set de cores para a interface, ficando no entanto a mesma limitada a algumas aplicações (da Google...). Nota positiva no que diz respeito às actualizações de segurança, havendo contudo que acompanhar o assunto, para se verificar qual o posicionamento da marca em termos de futuro, visto estarmos no final de Maio e o patch de segurança ainda é o de Abril.


A marca assumiu duas atualizações do Android para os equipamentos da série Y. Na sua chegada ao mercado nacional, o smartphone recebeu um update de Android 11 para 12, pelo que fica a a dúvida se o Y76 ira ficar pelo Android 13, ou se irá chegar ao 14. Esta questão foi colocada à vivo, tendo a mesma informado que no caso do Y76, as duas atualizações previstas seriam o atual Android 12 e o futuro Android 13.



Câmaras


"Flagship Style Camera Design", é assim que a vivo posiciona o seu Y76. Se em termos estéticos, o arranjo da câmara está bem conseguido, já o desempenho global do conjunto não consegue acompanhar o mesmo nível de qualidade do design apresentado pelo bloco de câmaras.

O sensor principal de 50MP com aberturaf/1.8, consegue disponibilizar imagens de boa qualidade, isto quando há boa iluminação. O efeito bokeh cumpre sem deslumbrar, já as fotos em ambiente noturno vão depender sempre da pouca luz disponível, com os resultados a serem muitas vezes insuficientes. A câmara frontal consegue apresentar um bom detalhe de imagem, mas mais uma vez, está dependente da luz ambiente.


Interface da câmara


Filtros em tempo real


A interface não apresenta novidades, estando em linha com que habitualmente é apresentado, com uma fila de ícones à esquerda (definições, modo macro, AI, HDR, Flash e Google Lens) e um bloco à direita, com zoom, filtros e modos de captura, botão de disparo, atalho para a galeria, botão de disparo e alternar a câmara.

vivo y76

Apreciação final



Se em termos de design o Y76 passa com boa nota, em termos de desempenho as coisas complicam-se, com o armazenamento a não acompanhar o processador da MediaTek. A autonomia é o grande destaque, com o smartphone a oferecer mais de dois dias de utilização sem qualquer esforço de poupança por parte do utilizador. No que diz respeito à câmara e sobretudo ao preço equilibrado (359€ para a versão com 256 GB de armazenamento), o vivo Y76 sai desta analise com um "Morno".


vivo Y76

Morno

Prós
  • Autonomia
  • Design

Contras
  • Câmaras secundárias


vivo Y76

Morno (3/5)

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]