2022/08/23

Para quando os alertas via Cell Broadcast em Portugal?

O sistema de envio de alertas da Protecção Civil via SMS é ineficiente e deixa as populações em risco, quanto mais tempo demorará para os operadores usarem o Cell Broadcast?

Recentemente voltamos a ter o exemplo de como o envio de alertas via SMS pode demorar horas a chegar às pessoas. Algo que se torna ainda mais difícil de justificar quando existem um método muito melhor adequado para esta função, como os operadores de telecomunicações bem sabem: o Cell Broadcast.

A única explicação possível é que esta seja uma forma fácil de "ganhar dinheiro", com os operadores nacionais a já terem recebido 1.4 milhões de euros em contratos de SMS (os tais que podem demorar horas a chegar, ou nem sequer chegar no caso de clientes sem saldo), e quase mais 1 milhão ao longo dos próximos três anos. Valor que seria difícil de justificar pelo envio de alertas via Cell Broadcast, onde bastava o envio de uma única mensagem para poder chegar a milhões de pessoas - com possibilidade de se definir mensagens diferenciadas para diferentes regiões, e até em diferentes línguas, para que um turista não ficasse intrigado ao receber uma mensagem de alerta em português. Isto além da mensagem chegar também a smartphones sem saldo, ou até sem cartão SIM instalado!

A lista de países que utiliza alertas via Cell Broadcast é numerosa, e está em crescimento contínuo, havendo também diversos países europeus que já fizeram a mudança dos SMS para o Cell Broadcast - e demonstrando que não é preciso grande investimento por parte dos operadores. Aliás, basta relembrar que até em Portugal já tivemos o Cell Broadcast a funcionar em décadas passadas.

Países onde é possível receber alertas por Cell Broadcast:

  • Japão
  • Sri Lanka
  • Holanda
  • Lituânia
  • Peru
  • Chile
  • EUA
  • Taiwan
  • Coreia do Sul
  • Rússia
  • Filipinas
  • Emirados Árabes Unidos
  • Nova Zelândia
  • Roménia
  • Canadá
  • Omã
  • Grécia
  • Peru
  • Hong Kong
  • Itália
  • Reino Unido
  • Dinamarca
  • França
  • Equador
  • Porto Rico
  • Catar
  • Arábia Saudita
  • Espanha
  • Bahamas
  • Ucrânia
  • Ilhas Virgens dos Estados Unidos

Algumas das vantagens do Cell Broadcast:
  • O envio de alertas por Cell Broadcast não causam saturação na rede móvel e não são afectados pela saturação das redes móveis. Quando os dados móveis, SMS e chamadas não funcionam, o Cell Broadcast continua a funcionar.
  • Os alertas são recebidos de acordo com a localização do cidadão no momento.
  • Alertas de emergência são enviados para todas as redes móveis 2G, 3G, 4G e 5G.
  • Nenhuma informação pessoal (como número de telefone, identidade ou localização) é usada no envio de qualquer Alerta de Emergência.
  • Envio para visitantes de outros países na região afectada, no idioma desejado. Quase em tempo real (4 a 10 segundos). Toque específico e vibração única. Suporte de texto para fala para dispositivos Android. Repetição, Priorização. Cartão SIM não é necessário. Usando geo-fencing em dispositivos usando as redes 4G e 5G, o Cell Broadcast fornece precisão de GPS em mensagens de alerta de vários metros (WEA 3.0).

Até quando iremos continuar a desperdiçar milhões no envio de SMS que facilmente se comprova que não são adequados para esta função?

16 comentários:

  1. Assunto para manter "em cima da mesa" diariamente até que os nossos decisores púbicos tomem as decisões corretas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há mais Países que se encontram actualmente em fase de implementação do Cell Broadcast para Public Warning na Europa e fora da Europa, é uma lista que irá crescer nos próximos meses. Na lista está os Países onde já é possível receber alertas.

      Eliminar
    2. Exacto... "Água mole em pedra dura tanto bate até que fura". Está visto é que iremos ser dos últimos da Europa a implementar, mas pronto...

      Eliminar
  2. Porque não podem as operadoras cobrarem pelo Cell Broadcast o mesmo que pelo SMS? A estrutura é delas. Claro que o Estado pode simplesmente passar uma lei e obrigar os operadores a dar acesso directo e gratuito ao sistema e acabou. Reclamam? Perdem as licenças e ainda levam com a má publicidade de não estarem preocupadas com a população, não têm como ganhar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na Roménia implementaram um Public Warning em topologia centralizada, o CBC e o CBE está do lado do Governo. O Governo pagou pela solução à OpenCode e as operadoras tiveram de adaptar as redes para ligar o CBC à RAN delas, acho que alterações na lei para permitir isso.

      Foi implementado em 4 meses, em 4 operadoras móveis com 4 vendors diferentes. Tive a oportunidade de conversar com o Doutor Raed Arafat e indicou-me que o Governo pagou 0 Eur dos contribuintes às operadoras.

      Case Study | RO-ALERT | Romania - https://smscellbroadcast.wordpress.com/2019/04/13/case-study-ro-alert-romania/

      Mobile Public Warning Project Roll Out | RO-ALERT - https://smscellbroadcast.wordpress.com/2019/12/03/eena2019-mobile-public-warning-project-roll-out-ro-alert/

      Em Espanha o Governo preparou documentação técnica e abriu um concurso público.

      Transparência - https://contrataciondelestado.es/wps/portal/!ut/p/b0/04_Sj9CPykssy0xPLMnMz0vMAfIjU1JTC3Iy87KtUlJLEnNyUuNzMpMzSxKTgQr0w_Wj9KMyU1zLcvQjgxwj83zcI8uy83KLqozdA1NMi8yCA21t9Qtycx0BLOwE5g!!/

      Características técnicas - https://contrataciondelestado.es/wps/wcm/connect/30fd8bbf-3bad-4c3e-b3c8-970562bf0a75/DOC20210714093151PPT.pdf?MOD=AJPERES

      Optaram por uma topologia distribuída em que cada operadora móvel tem o seu próprio CBC da one2many / everbridge. Sei também que em Espanha as operadoras não queriam activar o Cell Broadcast na rede 2G, mas o Governo exigiu, é para ficar disponível nas redes 2G, 3G, 4G e 5G.


      Há Países em que as operadoras é que escolheram o fornecedor do CBC, como por exemplo no Reino Unido em que a Vodafone utiliza a Nokia e as restantes operadoras a one2many / everbridge.

      Quanto à questão da facturação, as operadoras podem cobrar pelo Cell Broadcast, mas a solução que possuem actualmente é mais rentável, porque desenvolveram a solução das SMS internamente para a ANEPC. Como o Nuno no comentário escreveu abaixo já sugiro isto há anos para Portugal, tive uma reunião em 2009 pessoalmente na tmn com o antigo CTO da altice onde apresentei ideias que ainda hoje são válias.

      Partilho as ideias que entreguei em Julho de 2009 na tmn, em 2010 o Japão lançava o ETWS com o Cell Broadcast - http://www.gsmhouse.pt/index.php?showtopic=26647&p=138645

      Eliminar
    2. Correcção, o Japão lançou o ETWS em 2009 e o Sri Lanka um Public Warning utilizando o Cell Broadcast.

      Eliminar
    3. Entendo esta solução (Cell Broadcast) como viável na prática.
      A questão é quem dá assessoria para os governantes e legisladores fazê-los entender que aquilo é uma melhor opção, e que basta escrever uma lei e as empresas têm de dar acesso ao recurso até suportando todos os custos e acabou.
      O único receio é que as mensagens não são autenticadas de origem de tal forma que os utilizadores finais possam saber que aquela mensagem é mesmo proveniente da protecção civil de Portugal e não do atacante Russo que quer lançar o pânico em Portugal por mera diversão. Não existe ainda o conceito de autenticação integrada de tal maneira que a rede móvel e a origem da mensagem tenham de coincidir com uma entidade autorizada para emitir para aquela região e recusar qualquer outra mensagem como inválida.

      Eliminar
    4. No caso do Cell Broadcast só as entidades competentes e as operadoras móveis é que podem emitir o alerta.

      No caso das SMS é muito fácil forjar as mesmas.

      Exemplo:

      SMS spoofing – AvisoPROCIV – ANEPC Autoridade Nacional de Emergência e Protecção Civil

      https://youtube.com/shorts/zkBsurMpLeU?feature=share

      Eliminar
  3. Aos anos que oiço o Ricardo Saraiva a falar disto. Desde os tempos do gsmhouse que se sabe que, inclusive, teve algumas reuniões com os operadores e o que isso gerou depois.
    Continua - se na luta por um serviço que seria instantâneo e que está activo na rede desde o tempo dos telefones 1g

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade Nuno. Em 2007 já falava disto no GSMHouse. Incrível como em Portugal temos uma resistência enorme à implementação do Cell Broadcast para Public Warning. Nunca me esqueço como acabou o Cell Broadcast na Vodafone.

      Na MEO o Cell Broadcast ainda funciona na rede 2G, quem tiver um telemóvel Android ou mais antigo que tenha o canal 50 ainda recebe o indicativo o nome da região.

      Eliminar
  4. Com tanto abaixo assinado que se faz em Portugal, até por coisas idiotas, porque não tentar-se fazer um abaixo assinado para levar o assunto a discussão no parlamento? Fica a dica... Duvido que os decisores politicos andem em sites de tecnologia... Portanto, se não vem Maomé há montanha, vai a montanha a Maomé...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A VOST teve essa iniciativa em 2019, sabes quantas respostas tivemos zero.

      Cell Broadcast na Assembleia da República

      Artigo: https://vost.pt/cell-broadcast-assembleia-republica/

      Eliminar
  5. A ideia é boa e interessante MAS... claramente há um enorme muro de silêncio sobre o tema. Parece que há interesses instalados e valores demasiado altos envolvidos. Até parece uma teoria da conspiração mas operadores patrocinam uma série de coisas, jornalistas e órgãos de comunicação social parecem não estar interessados em promover o debate e investigação sobre o tema, governos foram de várias cores politicas e nenhum quis mexer no status quo, oposições duvido que não tenham conhecimento do tema, associações e organismos de segurança, bombeiros e proteção civil idem idem
    Todos sabem que o rei vai nu, mas ninguém (com poder) diz nada!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há um lobbie muito grande pelas SMS e LB-SMS e não é apenas em Portugal. Vou dar dois exemplos.

      No Peru antes da implementação do Cell Broadcast, foi lançado um concurso público internacional para a aquisição da solução que iriam implementar multicanal com recurso ao Cell Broadcast, TVs, Rádios, IoT, etc.

      O responsável do Governo pelo projecto SISMATE com quem fui trocando mensagens ao longo dos meses confidenciou-me que houve 2 empresas a fazerem pressão ao Governo para escolherem as SMS em vez do Cell Broadcast. Diziam que as SMS eram para todos / povo e que o Cell Broadcast era para os ricos.

      No Reino Unido outro País que tive oportunidade de acompanhar e que ainda acompanho e com quem falo com o antigo responsável pelo projecto da implementação do Cell Broadcast quando estiveram na fase de implementação as operadoras começaram a dizer que necessitariam de 1 ano ou mais para implementar o Cell Broadcast, eu respondi que 4 semana seriam suficientes para não se deixarem enganar, o Cell Broadcast foi implementado em todas as operadoras móveis no Reino Unido em menos de 90 dias. Também houve uma campanha no Twitter para ver se escolhiam as SMS, mas o Governo do Reino Unido manteve-se firme quanto ao Cell Broadcast que irá ser divulgado em Setembro deste ano.

      Meses antes da escolha das SMS em Portugal já sabia de fonte segura que iria ser a solução para Public Warning em Portugal, o Cell Broadcast nunca esteve em cima da mesa como tecnologia principal mas sim como opcional.

      Houve um estranho artigo do SOL a falar do Cell Broadcast que sempre achei que foi pressão para venderem a solução que possuem actualmente, a empresa que aparece não vende soluções de Cell Broadcast mas sim de LB-SMS.

      Partilho a notícia - https://sol.sapo.pt/artigo/658828/novo-sistema-de-alertas-de-fogos-esta-atrasado

      Quanto aos meios de comunicação social e jornalistas ninguém até ao momento ousou em falar no assunto, verifico que no Twitter pesquisando por Cell Broadcast que em outros Países é assunto recorrente seja na comunicação social seja entre os utilizadores / cidadãos utilizadores daquela rede social.

      No twitter ainda recentemente tivemos um colaborador e ex-colaboradores de uma das grandes operadoras móveis a escrever asneiras e mentiras sobre o Cell Broadcast, não sei se por desconhecimento ou se propositado, porque queiramos ou não há aqui interesses financeiros / comerciais.

      Quanto aos jornalistas não sei o que existe actualmente, mas recordo-me do tempo da TMN e que deve ter passado para a MEO do Programa Média XXI em que têm acesso a tarifários com preços e condições especiais, onde só pagam metade do valor de um iPhone, podendo ter facturas em atraso de pagamento por 1 ano sem ser cortado o serviço, etc. É só pesquisar.

      Há 3 anos e uns meses tive uma reunião com um Engenheiro com mais de 30 anos de experiência na área das telecomunicações e alguém muito conhecido e conceituado na área. Fui convidado por ele para se conversar sobre o Cell Broadcast, confidenciou-me que na altura teve uma reunião com as mais altas instâncias do Protecção Civil e que ninguém sabia o que era o Cell Broadcast e ao ter tocado no assunto criou um clima de mau estar nessa reunião. Em Portugal ando nisto há anos, tenho mantido contactos com responsáveis de empresas, Governos de outros Países, tem sido uma experiência gratificante a troca de conhecimento e ideias.


      Eliminar
    2. Em Portugal é um assunto tabu, parece que estão a falar do Diabo, criam problemas onde eles não existem, o Cell Broadcast evoluiu, não só nos terminais como na própria tecnologia. Dizem que está morto e obsoleto, o 3GPP é actualizado quase todos os meses, está padronizado para funcionar em 2G, 3G, 4G e 5G, por exemplo em Taiwan há uma operadora móvel que tem o Cell Broadcast a funcionar em SA no 5G para Public Warning.

      Equipamentos Android desde 2012 recebem alertas por Cell Broadcast, qualquer telemóvel antigo de 1998 recebe mensagens de Cell Broadcast, por isso a mentira que vendem em Portugal que o Cell Broadcast não funciona em todos os telemóveis é falso, até na minha PEN de Banda Larga da TMN recebo as mensagens de Cell Broadcast 21 Lisboa do canal 50 da rede móvel da meo.

      Quanto aos iPhones é necessário uma actualização do iOS ou dos perfis de rede da operadora móvel, a Apple é muito exigente nas disponibilização dos canais, no caso do Android 11 e 12 é a própria Google que faz a actualização do apk, não estando dependente dos fabricantes, no 5G até pictogramas já é possível receber nos smartphones por Cell Broadcast https://smscellbroadcast.wordpress.com/category/telecommunications/

      A nível político também não se vê ninguém interessado ou em discutir o assunto.

      No ano passado ainda enviei um mail para o responsável da Protecção Civil pelo Public Warning System em Portugal da possibilidade de fazermos como o Reino Unido fez, um Trial com o Cell Broadcast, respondeu com um texto enorme e não respondeu às minhas perguntas quanto à possibilidade de se testar o Cell Broadcast num trial.

      É que nem dispomos de um sistema multicanal que envie os alertas para as Rádios, TVs, Painéis de Informação / Publicidade, etc.

      Este sistema de Public Warning que temos em Portugal é medíocre e muito caro.

      Eliminar
  6. Os alertas por Cell Broadcast com os pictogramas - https://smscellbroadcast.wordpress.com/2021/11/05/cell-broadcast-for-public-warning-ios-android-4g-and-5g/

    ResponderEliminar

[pub]