2022/12/05

Jovens Europeus recorrem à pirataria e ao trolling

Um inquérito realizado a oito mil jovens europeus dos 16 aos 19 anos revela um panorama preocupante na sua actividade online.

Para além de metade passarem entre 4 a 7 horas por dia online, quase 40% admitiu passar mais de 8 horas por dia online, com os principais serviços a sereem o YouTube, Instagram, WhatsApp, TitTok e Snapchat (o que mais uma vez também reafirma que o Facebook é para os "velhos").

Se alguns dos resultados do estudo não serão surpresa, há outros que são motivo para preocupação. Por exemplo, ninguém ficará muito surpreendido ao ver que 44% destes jovens acedem a pornografia online, ou que 34% admitam fazer pirataria digital. Por outro lado, será mais chocante que 27% admitam já ter feito "trolling", ou que 22% tenham incitado à violência. Temos ainda 12% que já terão assediado outras pessoas, e 11% que tenham promovido discurso de ódio.
O estudo não se refere especificamente a dados de jovens portugueses (foi feito no Reino Unido, França, Espanha, Itália, Alemanha, Holanda, Suécia, Noruega e Roménia), mas serve como sinal de alerta para que os pais tentem manter um diálogo aberto sobre estes temas e se tentem manter a par daquilo que os seus filhos andam a fazer online.

1 comentário:

  1. Relativamente à pirataria, são os jovens e os adultos. Uma pessoa paga Netflix, Amazon Prime, HBO etc..., quer ver um filme qualquer, tem que recorrer ao stremio porque não consegue ver em nenhuma das plataformas.

    ResponderEliminar

[pub]