2023/01/21

Mazda MX-30 e-Skyactiv R-EV usa motor rotativo como gerador

O Mazda MX-30 e-Skyactiv R-EV, variante plug-in híbrida que recorre a um motor rotativo como gerador, foi apresentado pela marca japonesa no Salão Automóvel de Bruxelas.

O novo MX-30 e-Skyactiv R-EV, é uma proposta plug-in híbrida de produção em série que vem oferecer novas formas de utilização do automóvel como veículo eléctrico a bateria. O MX-30 e-Skyactiv R-EV tem uma autonomia de condução eléctrica a bateria de 85 km, suficiente para as necessidades de utilização no quotidiano, bem como a capacidade de utilizar um gerador para permitir deslocações de longa distância. No seu todo, a autonomia de condução é propulsionada por uma solução eléctrica.

A Mazda optou por recorrer a um motor rotativo para alimentar este gerador, tirando partido da capacidade única dos motores rotativos na produção da potência necessária a partir de um pequeno bloco. Este motor rotativo 8C de nova concepção está alojado no compartimento mecânico, juntamente com o gerador e um bloco eléctrico de elevada potência. A unidade motriz compacta está acoplada a uma bateria de iões de lítio de 17,8 kWh e a um depósito de gasolina de 50 litros de capacidade, resultando num sistema plug-in híbrido único, com uma autonomia de condução total muito competitiva.
O MX-30 e-Skyactiv R-EV também apoia os clientes com um estilo de vida activo, oferecendo diversas características como a compatibilidade com carregamentos normais AC, bifásicos ou trifásicos, e carregamentos rápidos DC, funcionalidade de alimentação de 1.500 W, para além de três modos de condução – Normal, EV e Charge – que se adaptam às diferentes situações de utilização. Para além disso, graças ao potente motor eléctrico de 125 kW, proporciona uma performance de condução ligeiramente melhor do que a do MX-30 EV.

Detalhes do lançamento em Portugal do novo Mazda MX-30 R-EV serão divulgados em breve.

[Pela Estrada Fora]

3 comentários:

  1. Esse carro está somente 10 a 15 anos atrasados.
    Neste momento só os carros puramente eléctricos fazem sentido.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ia criticar o seu comentário mas... É mesmo verdade. Em 2023 apresentar uma solução destas... Parece que deixaram o mercado e voltaram agora

      Eliminar
    2. Mas é uma solução bastante melhor que a dos híbridos tradicionais, com a complexidade mecânica do motor normal e motor eléctrico, ambos para a transmissão. De qualquer forma, é algo que a Opel já tinha feito com o Ampera (já em 2011, penso eu).

      Eliminar

[pub]