2023/01/12

Tribunal considera que Apple Watch tem tecnologia roubada

A Apple sofreu um revés no caso com a empresa Masimo, com um tribunal a considerar que o Apple Watch utiliza tecnologia patenteada sem as devidas licenças.

O caso remonta a 2020, após a Apple ter estado em negociações com a Masimo, especializada em equipamento médico, e estando especialmente interessada nos seus sensores ópticos de leitura do nível de oxigénio no sangue. Mas, ao estilo do que acontece nas negociações com gigantes tecnológicos, o resultado das negociações não foi o que se esperava. A Masimo diz que as "negociações" foram apenas uma cilada da Apple para conhecer alguns dos seus segredos tecnológicos e para roubar alguns dos seus funcionários chave. No seguimento dessa reunião a Apple contratou o Chief Medical Officer da Masimo, que terá tido papel fundamental para a Apple desenvolver os sensores usados no Apple Watch.

Nesta fase, o tribunal dá razão à Masimo e diz que a Apple está a violar patentes, podendo em última instância levar à proibição da importação de Apple Watches da série 6 e mais recentes nos EUA. Mas para isso irá haver nova investigação, realizada pela International Trade Commission dos EUA, num novo processo independente do caso em tribunal. Será aqui que a Apple provavelmente depositará os seus esforços para tentar convencer a entidade de que não fez nada de mal.

Curiosamente, embora a Masimo seja uma empresa norte-americana especializada nos sensores ópticos na área da saúde, o ano passado expandiu a sua área de actividade com a aquisição da Sound United, passando a ser dona de marcas como a Bowers & Wilkins, Denon, Marantz, Definitive Technology, Polk Audio, Classé e Boston Acoustics.

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]