2014/01/14

Huawei aposta smartphones que servem como baterias portáteis


A Huawei estreou o sistema com o anúncio do seu Ascend Mate 2, com uma imponente bateria de 4000mAh e a capacidade de o podermos usar para recarregar outros equipamentos - e agora expande a mesma tecnologia ao modelo ligeiramente mais modesto B199 com bateria de 3000mAh.

É certo que a maioria das pessoas não olha para os seus smartphones como potenciais baterias portáteis - embora haja um número crescente de pessoas que recorra a baterias de maior capacidade ou capas com bateria integrada para expandir a autonomia dos seus equipamentos. Talvez a culpa disso se deva ao facto de na maioria dos casos a autonomia num smartphone ser já inferior ao que seria desejável - mas mesmo assim acho curioso que este tipo de sistema ainda não se tenha tornado generalizado.

Afinal... se podemos carregar a bateria do nosso smartphone, porque motivo não deveremos ter a possibilidade de usar essa energia como bem entendermos, mesmo que isso signifique dar um pouco da carga a um amigo cujo smartphone esteja "no vermelho"?

E se podemos imaginar que nos smartphones com baterias mais reduzidas isso poderá não ser muito utilizado, nos phablets com baterias mais generosas (como a de 4000mAh do Mate 2) e nos tablets, isso poderia fazer toda a diferença entre ficar "na rua" sem bateria para atender/fazer uma chamada importante, e poder recorrer a um destes outros equipamentos para uma recarga de emergência.

2 comentários:

  1. Um tablet para carregar um smartphone para mim faz sentido. De certeza que uma vez ou outra seria útil.

    ResponderEliminar
  2. Eu acho que estes modelos poderão fazer furor mais pelo acréscimo de autonomia que pela capacidade de alimentar outros equipamentos... se estes Ascend conseguirem resistir a 8 horas seguidas de ecrã ligado e dados ativos terão certamente vários seguidores - nem que sejam os fãs do Ingress :) .
    No entanto acho a ideia gira, se funcionar.

    ResponderEliminar

[pub]