2014/01/20

Paramount passa a distribuir filmes apenas em formato digital


Poderá ser com saudade que os fãs do cinema assistem a mais um passo na direcção do formato digital, mas a evolução não perdoa e agora é o gigante Paramount a despedir-se definitivamente da distribuição de filmes em película.


Se por um lado podemos considerar o cinema indissociável da película (que assim permaneceu por mais de uma centena de anos), importará também recordar que isso apenas aconteceu por motivos técnicos - e onde um outro factor impôs desde logo as suas limitações: o custo. O cinema ficou preso nos 24fps ao longo das décadas devido a essa ser a frequência mínima necessária para transmitir a ilusão de movimento de uma forma minimamente confortável - e que muitos passaram a associar como sendo o "look" do cinema.

Mas nem todos se sentiam satisfeitos com esta imposição. Nalguns parques de diversões e tecnológicos foram surgindo experiências que nos mostravam filmes mais realistas que nunca, em versões de maior velocidade, mas sendo sempre algo que implicava custos acrescidos - não só de produção como depois de manutenção do material. Sim, em época de conteúdos digitais onde se podem ver e ouvir conteúdos milhões de vezes sem perda de qualidade importa relembrar que as películas são objectos físicos bastante sensíveis, e que a cada projecção se vão degrandando (as gerações mais novas não saberão o que é ir ver um filme que apresenta riscos e sujidade na película...)

Eu sou fã do cinema, mas nunca associei o gosto do cinema pela adoração da película (da mesma forma que não me penso que um apreciador de comida julgue o sabor da mesma pelo prato em que lhe foi servido a refeição). Pelo contrário, há anos (décadas?) que me debato e "reclamo" com as limitações da pelicula - principalmente a nível do frame rate. Com a chegada do digital ao cinema, deixam de haver os entraves físicos que tínhamos nas películas, tanto a nível da produção como da distribuição - e possibilita-se também uma maior agilização de todo o processo. Porque motivo não poderá uma única sala cinema exibir 4 ou 5 filmes diferentes por dia? Porque motivo alguns cinemas tinham que ficar arredados de um blockbuster na data de estreia por não haverem "cópias" suficientes para todos?

Com os filmes digitais, tudo isso passa a ser encarado de outra forma: e como bem sabemos, os cinemas bem precisam de se adaptar aos tempos modernos para conseguirem continuar a atrair espectadores.

Sim... será com alguma saudade que nos despedimos da película... mas será com muito maior entusiasmo que damos as boas vindas ao cinema digital do século XXI e das inúmeras melhoras que ele possibilitas.

4 comentários:

  1. Concordo plenamente.

    Alias, por mim seriam já todas como esta sala da Vodafone(séc.XXI) no Saldanha Residence, em Lisboa, que além da nova experiência de som já está preparada para os novos formatos de video:

    http://press.vodafone.pt/2013/12/10/vodafone-revoluciona-experiencia-em-cinema/

    Além disso, já li algures que é possível em gravações digitais, replicar na perfeição o "efeito" de película como o conhecemos. Essa necessidade, é segundo os produtores de cinema, uma exigência em filmes como por exemplo a saga "StarWars", em que os novos métodos de gravação sem introduzir os efeitos da película, causariam uma depreciação generalizada dos espectadores familiarizados com este tipo de filmes. :)

    ResponderEliminar
  2. Pois o problema é que cada vez há menos salas de cinema...

    ResponderEliminar
  3. Os formatos físicos irão por ventura acabar, serão apenas um meio de transporte entre A e B mas não como deposito. Eu por exemplo faço sempre um backup comprimido dos meus filmes: uso o XBMC + HDD e não tenho vontade de andar a meter discos... relativamente a haver cada vez menos salas de cinema, é o resultado dos tugas acharem que tudo deve e pode ser grátis, sacam tudo, e depois admiram se que fecham salas, desemprego aumenta, etc etc

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esqueci - me só de referir que os 24fps o são não por limitações (mesmo na altura já se podia ter actualizado há muito, ainda para mais porque a norma de TV permitia 60 Hz e na Europa 50hz) mas porque dá um efeito"sobre natural" ao filme. Se fosse filmado a 30 fps seria fluído e perdería o efeito "fora do real". Claro que hoje em dia as pessoas já pedem 50+ fps e daí esperar se em breve a massificação de filmagens em real motion.

      Eliminar

[pub]