2015/09/05

Site oficial do Mr. Robot no Canadá removido do Google por queixa de conteúdo ilegal


A perseguição cega de tudo e todos os que violam os direitos de autor tem consequências curiosas, desta vez com uma exigência que o Google removesse dos seus resultados a página oficial da série Mr. Robot no Canadá.

A série Mr. Robot tem tido bastante sucesso, por retratar um estranho hacker que é um génio dos computadores, com características sociais peculiares, e que usa o seu conhecimento para tentar levar a cabo alguma "justiça digital" (e de retratar os processos de hacking de forma mais realista que outras séries e filmes que abordam estes temas.) Tal como muitas outras (todas?) séries, é também bastante popular nos sites de partilha na internet, e que originam os habituais pedidos de remoção (DMCA) em massa.

Facilmente se percebe que tentar impedir a disseminação de conteúdos pirateados é uma tarefa impossível de conseguir, e a demonstrá-lo temos mais este caso que demonstra que as próprias empresas responsáveis pelos conteúdos não se dignam sequer a olhar para o que pedem, limitando-se a fazer simples copy-paste de tudo o que lhes aparece pela frente, e exigindo a remoção dos resultados do Google da própria página oficial da série no canal que a transmite no Canadá.

Ora, há dois aspectos que parecem ficar demonstrados:

  1. Está mais que visto que os produtores de conteúdos "disparam em todas as direcções", não olhando para o que estão a fazer (mesmo quando se prejudicam a si próprios);
  2. Fica demonstrado que o Google (e outros) também nem se dignam a comprovar se os pedidos são legítimos, optando por remover tudo e deixando a resolução de situações injustas para "depois";

Infelizmente, parece-me ser o exemplo premonitório do que também por cá se começará a passar, com a agravante de que por cá se irá impedir o acesso ao sites e não apenas removê-lo da lista de resultados de um motor de busca.


... Se calhar estamos mesmo a precisar de mais Mr.Robots da vida real, como os hackers que recentemente puseram a descoberto os dados da Ashley Madison que parecem revelar que aquilo não passava de uma grande vigarice.

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  2. Felizmente as novas gerações já lidam com formatos digitais e streaming da mesma forma que nós lidávamos com K7 e vinil. Essa raça maldita de chulos não irá durar muito tempo.

    ResponderEliminar

[pub]