2015/10/27

Análise ao OnePlus 2


Depois do sucesso do OnePlus One, que nos trouxe um smartphone topo de gama a preço bastante mais acessível, a marca tenta repetir o sucesso com o seu novo e actualizado OnePlus 2. A grande incógnita é: estará este novo smartphone à altura do seu antecessor?


O OnePlus 2



O OnePlus 2 opta por manter o estilo que a marca estreou no One, estando agora mais refinado. A nível das características, o OnePlus 2 vem com hardware mais recente, embora também estejam ausentes algumas coisas que muitos esperariam ver incluídas num modelo que quer competir com os topo de gama.




Como curiosidade, temos um botão deslizante com três posições que permite seleccionar rapidamente entre o modo silencioso, só para alertas, ou normal; e o botão home com sensor de impressões digitais. (É um botão "touch" que não tem clique físico, mas onde esse efeito é dado através de uma ligeira vibração).


O OnePlus 2 vem com um Snapdragon 810 (sim, aquele que "esquenta") e chega em duas versões: com 16GB e 3GB de RAM; e 64GB com 4GB de RAM. O ecrã de 5.5" fica-se por uma resolução Full HD, opção que será a mais acertada mesmo se na gama superior se encontrem modelos com resoluções superiores. Na câmara, a OnePlus também não entrou em exageros, ficando-se por um sensor de 13MP com dual LED flash, estabilização óptica, sistema de focagem por laser, e lentes com abertura f/2.0 para promessa de excelente desempenho em situações de pouca luminosidade. Do lado da frente temos uma câmara de 5MP com lente grande angular.


E como não podia deixar de ser num modelo moderno, acabam-se as frustrações de tentar encaixar a ficha USB do lado certo: o OnePlus 2 vem com uma ficha USB Type-C reversível.


Como curiosidade, também do lado da ficha USB "normal" encontramos uma ficha reversível, e que permite usar qualquer porta USB standard ou carregador para carregar o OnePlus 2.

Do lado das ausências, a marca optou por não colocar NFC neste modelo (opção estranha numa altura em que as soluções de pagamento com NFC vão ganhando popularidade), nem tão pouco temos capacidade fast charge para acelerar o processo de recarregamento.


A câmara


A OnePlus optou por um sensor de 13MP para este smartphone, e o resultado é... misto. Há situações em que as fotos resultam bastante bem e com cores vibrantes; noutras vezes, porém, surgem imagens que parecem ter levado com uma overdose de processamento, criando alguns blocos de cor ou efeitos estranhos quando olhamos mais atentamente para os pixeis. Quando se está em situação de baixa luminosidade, nem o sistema de focagem avançado parece conseguir garantir que a foto saia focada, obrigando a que se reveja cada foto para não se ter uma surpresa desagradável quando se chegar a casa.

Ponto positivo para a app da câmara dar acesso facilitado aos ajustes e modos, de forma bem mais intuitiva do que o Google faz de série no Android.







Em Funcionamento



A OnePlus pode ter cortado relações com a Cyanogen, mas o resultado disso é um OnePlus 2 que vem com um Android (5.1.1) que é praticamente de origem, apenas com algumas modificações que não irão chocar os puristas do sistema do Google.

[O OnePlus 2 não se sentiria mal ao lado de qualquer Nexus]

Com um Snapdragon 810 e 4GB de RAM, facilmente se imagina que tudo decorre sem grandes demoras - mas, se quisermos levar o sistema ao limite não é difícil comprovar-se tudo o que se diz a respeito do aquecimento deste SoC. Aliás, bastará correr um qualquer benchmark repetidamente, para se verem as temperaturas a subir e o desempenho a tombar proporcionalmente.


A questão que se coloca é se, em uso normal, este fenómeno se tornará num problema - e, penso que para a grande maioria dos utilizadores, isso não acontecerá. Quando muito, será coisa que se poderá fazer sentir em sessões mais demoradas em jogos exigentes... mas aí, qualquer smartphone ou tablet sofrerá de sintomas idênticos em maior ou menor grau.



Apreciação Final



Quando a OnePlus lançou o seu One, o mercado procurava desesperadamente um smartphone com hardware de topo a preço mais reduzido, mas que conseguisse dar uma imagem de confiança quanto à sua longevidade - coisa que a OnePlus conseguiu, em parte graças a parceria com a Cyanogen. Mas num ano muitas coisas mudaram, e agora não nos faltam dispositivos que obliteram por completo toda as habituais noções da relação "qualidade/preço". Situação que complica bastante a vida a este novo OnePlus 2.

O OnePlus 2 é um excelente smartphone, e que acaba por ser uma boa evolução do modelo original, mas onde, por outro lado, não se pode ignorar o aumento de preço (este OnePlus 2 de 4GB/64GB custa 400 euros) e as polémicas opções de não incluir NFC ou carregamento rápido, que muitos esperariam ser algo standard num equipamento que quer competir com os topo de gama. Aliás, não nos podemos esquecer que por esta altura já se podem encontrar smartphones como o LG G4 no patamar dos 400 euros, o que faz com que a concorrência a este OnePlus 2 não seja apenas dos modelos chineses "low-cost". E ainda por cima, o facto da OnePlus continuar a insistir no sistema de convites não ajudará os mais impacientes - embora já seja relativamente fácil encontrar convites para o OnePlus 2.

Por tudo isto, o OnePlus 2 não consegue igualar o modelo que fez furor o ano passado, tendo desta vez que se contentar com um:


OnePlus 2
Quente


Prós:
  • Qualidade de construção
  • Desempenho
  • Botão deslizante para seleccionar modo silêncio/alertas
  • Cabo USB reversível


Contras:
  • Falta do NFC
  • Preço já não é tão concorrencial como se esperaria
  • Sistema de convites já começa a "chatear"


Galeria de imagens








2 comentários:

  1. bom post, pessoalmente, acho muito dinheiro, como foi dito ha mts opçoes low cost chinesas, hoje nao seria a minha primeira opcçao.

    ResponderEliminar
  2. Pessoalmente acho que é o ciclo normal... o preço do 1+1 foi de afirmação e para sair da gama "Low Cost Chinesas", agora já se sustenta em alguma popularidade conquistada (sobretudo no mundo dos Geeks tecnológicos...).
    Nunca fui fan do primeiro 1+1, porque varias razões, a primeiras das quais a falta de confiança na qualidade deste modelo, como ficou provado pelos defeitos apresentados ao nivel do ecrã.

    Acredito que este novo modelo seja de maior qualidade, mas lá está o preço também já revela essa "qualidade", fica para a proxima chinesa apresentar um "canhão" a um preço mais baixo.

    ResponderEliminar

[pub]