2018/02/23

Primeiros satélites da rede de internet da SpaceX já estão em órbita


A SpaceX já colocou em órbita os dois primeiros satélites da sua futura rede de acesso à internet via satélite; os primeiros de uma constelação de milhares de satélites que superará tudo o que já foi feito até à data.

Depois de alguns adiamentos no lançamento, a SpaceX lá conseguiu enviar os dois primeiros satélites da ambiciosa rede Starlink para o espaço. Baptizados de Tintin A & B, estes satélites são ainda versões experimentais simplificadas que têm por objectivo validar os sistemas de comunicação, e neste momento já estão a comunicar com as estações terrestres e parecendo operar dentro dos parâmetros previstos.

Se não houver problemas, os primeiros satélites "a sério" da rede Starlink deverão começar a ser lançados já no próximo ano, tendo como objectivo - numa primeira fase - criar uma constelação de 4425 satélites até 2024, que permitirá aceder à internet via satélite com velocidades e latência equivalentes às de uma ligação gigabit doméstica. Mas se pensam que isto já é megalómano, importa dizer que numa segunda fase a ideia é adicionar mais 7500 satélites extra, em órbita ainda mais baixa, para melhorar ainda mais a cobertura e capacidade da rede.

... Para além dos planos de colonizar Marte, assim que se começa a ver a SpaceX a tirar vantagem dos seus lançamentos de baixo custo, fazendo algo que num passado não muito distante seria considerado "impossível". Elon Musk referiu ainda que a password da rede "WiFi" destes satélites é "martians" - sabendo como ele é, é bem provável que não esteja a brincar. :)



17 comentários:

  1. Será que uma pessoa que viva no rés-do-chão de um prédio de 30 andares consegue ter sinal de satélite com tanto betão por cima?

    ResponderEliminar
  2. Comvem por a antena no exterior certamente.

    ResponderEliminar
  3. Sou só eu que vejo isto como uma das maiores jogadas do Elon Musk para melhorar a navegação dos automóveis da Tesla, uma vez que são tão dependentes de internet?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estás a ser pouco ambicioso... Esta "jogada" vai ter impacto muito maior... a começar pelo facto de, finalmente, poderes dizer adeus aos operadores tradicionais, que até aqui têm tido "o pão e o queijo" nas mãos...
      Agora é que vamos ver o que vale a verdadeira fidelidade, e se os utilizadores se sentem satisfeitos com o serviço que têm e o mantêm... ou se saltam fora à primeira oportunidade que tiverem.

      ... Parece-me que neste momento só a Vodafone é que (quer seja por isto, ou por outros motivos) tem tido essa atitude "positiva" para com o cliente; os restantes ainda estão na era de tentar algemar os clientes ao serviços com unhas e dentes... e vai sair-lhes caro (digo eu).

      Eliminar
    2. Essa rede de satélites vai ser gerida por quantas entidades? Haverá concorrência?

      Eliminar
    3. A concorrência já existe, só não têm os recursos para competir a nível de satélites como a SpaceX. Só it's GG

      Eliminar
    4. Acho que ninguém percebeu a jogada dele.... a exploração espacial não traz retorno financeiro, ele vai vender internet por satélite, e aí que vai buscar o investimento pra Marte.

      Eliminar
    5. *a exploração espacial ainda não traz retorno financeiro

      Eliminar
  4. Decididamente quero seguir esta saga! Se quero! ;)

    ResponderEliminar
  5. Há aqui qualquer coisa que me está a escapar. Carlos, estás contente por podermos dizer adeus às operadoras tradicionais, mas a alternativa é uma rede de satélites de uma só empresa?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Depois de todos os anos de "abusos" que sofri (e muitos que ainda sofrem por não terem qualquer alternativa)? Sim; que venha uma empresa que obrigue as outras a repensar a estratégia.

      Conheces aqueles casos em que és cliente da operadora "N", e literalmente te tratam como lixo ao tentares renegociar por saberem que não tens alternativa na tua área; mas no dia em que chega a operadora "V" já te vêm oferecer tudo e mais alguma coisa? É a esse tipo de coisa que me refiro e acho vergonhoso.

      O que esta rede fará automaticamente (espera-se) é que automaticamente todas as pessoas tenham alternativa, e por isso passem a ser tratadas "da segunda forma" em vez "da primeira" - independentemente da fibra ou cabo não passar lá à porta da sua casa.

      Eliminar
    2. Sei perfeitamente o que isso é...
      Tinha a operadora "M" que não me dava alternativa em nada e tinha um custo de 38€.
      Assim que a Fibra apareceu contratei a operadora "V" e fiz o contrato. No dia que o meu contrato com a anterior fez os 24 meses começaram a ligar, com ofertas que igualavam o preço da "V", ofereciam videoclube, um telefone móvel e ainda 100Mb de net móvel. Só faltou oferecer a SportTV, mas fibra é fibra e agora tenho 100mb garantidos

      Eliminar
  6. vai dar um bom monopólio :) maior ao que já existe :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um monopólio mais preocupante que aquele que se vê agora em Portugal. A SpaceX atualmente domina os foguetões numa vertente privada. Mesmo que alguma empresa (ATT, Verizon, etc.) queira atacar a internet da SpaceX não o conseguirá fazer sem recorrer aos seus serviços pelo que a SpaceX poderá (e provavelmente irá) dificultar-lhes bastante a vida. De resto todos sabemos o quão mau é ter monopólios...

      Eliminar
    2. Para mim, considero-os mais como pioneiros que como monopólio.

      Já havia empresas a enviar satélites para o espaço antes da SpaceX existir, continuará a haver no futuro. O que eles fizeram equipara-se ao que Ford fez com os automóveis: havia várias marcas, que faziam carros quase "por medida" e extremamente dispendiosos; ele implementou o sistema de fabrico em série, que baixou drasticamente os preços - e depois os outros seguiram o exemplo.

      Aqui é precisamente o mesmo... Ninguém impede outra empresa de fazer o mesmo que a SpaceX está a fazer, e seguramente outras vão surgir...

      Eliminar
    3. Seria monopólio se apenas a SpaceX fosse autorizada a oferecer o serviço. Como não é assim que funciona a sua percepção é errada.

      Eliminar
  7. Já existe oferta de via satélite de Internet aos anos! https://www.satinternet.com/pt/
    Agora comparem a oferta actual com a futura da SpaceX e veremos se isto vai dar o salto ou não! É que actualmente a Internet via satélite ainda não é alternativa à fibra-óptica, 4G e ao cabo (quando este funciona bem)... só ao ADSL que costuma ser miserável fora dos grandes centros urbanos, e às vezes nem dentro dos centros urbanos.

    ResponderEliminar

[pub]