2018/02/19

SpaceX começa a criar rede de internet via satélite esta semana


Não é segredo que a SpaceX quer criar uma rede de internet via satélite usando milhares de satélites em órbita, e os primeiros dois vão ser lançados já esta semana.

Na verdade o Microsat-2a e Microsat-2b já deveriam estar no espaço por esta altura, mas infelizmente o lançamento que estava inicialmente agendado para 17 de Fevereiro foi adiado e está agora previsto para dia 21. Esta rede Starlink poderá revolucionar o acesso à internet e tornar-se numa verdadeira dor de cabeça para os operadores convencionais... precisamente o tipo de coisa que Elon Musk tanto gosta de fazer.

Actualmente, as opções de ligações à internet via satélite são extremamente lentas, dispendiosas, e nem sempre possíveis (dependendo do horário e área geográfica, para terem cobertura). O tipo de coisa que foi infelizmente relembrada no caso do desaparecimento do voo 317 da Malaysia Airlines, em que nem sequer temos capacidade para saber onde andam os aviões em tempo real. Outro grande "senão" nas opções actualmente disponíveis é a latência elevada, que pode ser de mais de meio segundo devido à distância a que esses satélites orbitam o nosso planeta (e por isso também precisando de emissões com potência elevada, pouco compatíveis com equipamentos móveis).

A SpaceX espera resolver tudo isso com a sua constelação de milhares de satélites Starlink que ficarão numa órbita de baixa altitude (LEO - Low-Earth Orbit), estimando que permitam disponibilizar ligações de internet via satélite de 1Gbps com latência de 25ms em qualquer ponto do mundo... a preço competitivo.

É o tipo de coisa que pode transformar o mundo... e acabar com as frustrações de todos aqueles que têm "fibra" a poucas dezenas de metros da sua porta de casa, mas em que o operador nem sequer se digna a lhes dar uma estimativa de quando lá poderá chegar (para não falar de todas as pessoas em regiões que provavelmente nunca terão nada melhor que ligações ADSL mais que ultrapassadas...)

Actualização: após alguns adiamentos, a SpaceX conseguiu lançar os dois satélites com sucesso.

7 comentários:

  1. Os milhões que se gastam nestas cenas e tanta fome que existe no mundo.
    .
    * Aroma da papoila ... E a outra face do sentimento *
    .
    Uma semana feliz.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Enquanto forem "cenas" produtivas com potencial para beneficiar toda a humanidade, não me choca.

      Choca-me mais os biliões que se gastam em armas, ou a promover tecnologias obsoletas (e a travar o desenvolvimento das novas, que afectariam os "poderes instalados"), etc.

      Eliminar
    2. Também sou um pouco (muito) crítico quanto a tantos luxos totalmente fúteis que a nossa geração anda a colocar atualmente à frente das coisas essenciais, mas neste caso, até me parece que isto poderá ser uma ideia muito curiosa e com potencial para trazer mais democracia ao acesso à sociedade de informação, porque, recordemos, essa apenas existe em "pleno" nos grandes centros urbanos.

      Quem vive no campo, em aldeias, no deserto, na montanha, etc. está arredado desta realidade em que vivemos.

      Mas também não tomo estes por "santinhos", claro está.

      Mas que estão a fazer algo que à partida parece ter mais potencial, por exemplo, do que aqueles que andam sempre a tentar colocar telemóveis no mercado com a intenção de fazer os seus próprios clientes sentirem necessidade de trocar de equipamento daí a menos de 2 anos...

      Sim, os primeiros, aparentemente, estarão mesmo a fazer um melhor serviço à humanidade.

      Eliminar
  2. As possibilidades que uma rede destas cria são muito importantes para a Humanidade .

    ResponderEliminar
  3. Isto para muita gente pode não trazer grandes benefícios (à primeira vista) mas para outros pode ser uma forma de fugir à censura (ou falta de neutralidade) na Internet que tem vindo a ser o tema mais polémico no conceito de Internet como uma rede universal...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas 25ms é obra, tendo em conta que o normal é 250ms para os estacionários a 35mil km, estes devem estar a menos de 3000km de altitude (tendo em conta que ainda devem enviar dados de uns para os outros).

      Eliminar

[pub]