2018/06/13

Google Home já entende 3 comandos na mesma frase


Sistemas como o Google Home e Amazon Echo têm conquistado cada vez mais adeptos, mas para que se tornem verdadeiramente capazes de convencer as massas, será preciso que a sua utilização seja tão natural quanto falar como uma pessoa - e o Google Home dá mais um passo nesse sentido, agora percebendo até três comandos na mesma frase.

Enviar um comando simples para o Google Home, como perguntar as horas, ou o estado do tempo, ou até pedir para apagar as luzes da sala, é prático e conveniente (e impressiona os amigos) mas, passado algum tempo, revela ser bastante limitativo - quase como se se estivesse a falar com uma criança. Há algum tempo a Google deu ao Google Home a capacidade de entender dois comandos na mesma frase, permitindo dizer coisas como "cria um alarme para as 7 da manhã e apaga as luzes" (em oposição a ter que se dizer "Ok Google, cria um alarme para as 7 da manhã. Ok Google, apaga as luzes.")

E agora... temos o passo seguinte, com o Google Home a poder entender três comandos na mesma frase, numa revelação que foi feita no Twitter por uma conta oficial da Google, mas que depois foi removida, indicando que esta capacidade terá sida revelada por lapso antes do momento que estava programado.

Como seria de esperar, por agora esta funcionalidade está apenas disponível em inglês e nos países de língua inglesa; e faltará saber se realmente haverá muitos casos em que se queira fazer algo como "acende as luzes da sala, e acende as luzes da cozinha, e começa a tocar música"; sem esquecer que este tipo de encadeamentos pode também ser conseguido através das "rotinas", onde podemos associar uma frase como "cheguei a casa" a uma sequência de acções a efectuar.

2 comentários:

  1. Isto é Inteligência artificial (IA/AI) a funcionar.
    O Google Tradutor também já usa AI na tradução - que pode ser feita offline (desde que se tenha descarregado as línguas). Traduz uma frase em vez de palavra a palavra.

    "O que eu digo não se escreve", mas não custa a perceber que quem tiver maior domínio da AI é que vai "riscar". E a Google leva avanço - embora às vezes sejam mais "as vozes do que as nozes", como foi da simulação da chamada telefónica em que respondia uma AI.

    ResponderEliminar
  2. Estas coisas de A.I. têm muito pouco. Isto são algoritmos que aproveitam o poder de computação massivo que existe hoje em dia. A.I. a sério pressupõe uma capacidade de avaliar os resultados das interpretações que se fazem e decidir mudar comportamentos futuros em função disso (aprender).

    ResponderEliminar

[pub]