2018/06/07

Portáteis vão trocar teclados por ecrãs em breve


Depois de termos visto a Asus a trocar um trackpad por um "screenpad", parece que o passo que se segue é a de trocar toda a parte inferior do teclado por um touchscreen adicional.

Tanto a Intel como Asus aproveitaram a Computex 2018 para mostrar alguns protótipos interessantes do que poderão ser os portáteis no futuro, com a Intel a trocar a parte inferior de um mini-tablet por um touchscreen e-ink no seu Tiger Rapids, enquanto que a Asus vai mais longe e opta por usar um touchscreen completo que replica o ecrã principal... para um verdadeiro portátil com ecrã duplo.


Se no caso da Intel temos a vantagem do ecrã e-ink abrir algumas possibilidades interessantes em termos de utilização com baixo consumo de energia; a proposta da Asus parece ser mais ambiciosa até mesmo em termos de funcionamento, pois o objectivo é aplicar-lhe uma dose considerável de inteligência artificial para que a parte do "teclado" seja capaz de se adaptar automaticamente ao que for necessário a cada momento - incluindo não só a capacidade do teclado surgir na posição mais adequada em função de onde o utilizador tem as mãos, mas também a de saber quando é que um teclado e/ou rato físico estão por perto, para expandir se deverá apresentar as suas versões virtuais no ecrã ou não.


E claro... no caso de se estar a usar um teclado físico, há sempre a possibilidade de simplesmente se usar o portátil na vertical, ficando uma verdadeira máquina com ecrã duplo lado a lado.

Ao contrário de outros protótipos, a Asus diz que este sistema será mesmo para trazer para o mercado já no próximo ano. Por outro lado, há que ter em conta que não seria a primeira vez que a Asus promete algo e depois "muda de ideias"... como aconteceu em tempos com o mal-fadado Eee Keyboard 2. Esperemos que desta vez seja diferente! :)

6 comentários:

  1. Espero bem que não. Raios parta esta moda de não se querer feedback táctil.

    ResponderEliminar
  2. Também não acho graça a este conceito. Gosto mesmo muito de escrever em teclas verdadeiras.

    ResponderEliminar
  3. Para alguns casos até pode ser útil. Design, edição audio e video (se as ferramentas aproveitarem para adaptar menus e opções).
    Mas vejo mais a ser utilizado com um teclado em separado e em função duplo monitor que como teclado.

    ResponderEliminar
  4. Eu gosto dos 2 conceitos aqui apresentados as teclas físicas pareciam ser um tabu para usar nos smartphones, tendo há época a Blackberry ganho muito mercado empresarial devido sobretudo a resistência de se usar um teclado incorporado no display , hoje que é que quer voltar as teclas físicas, a Blacberry pelos vistos ainda acha que existe mercado para estes equipamentos porque lá vai lançando modelos novos com teclado físico .

    A evolução dos portáteis para este tipo de teclados é natural e acompanha a tendência, respeito todos os gostos, aliás ainda existe um número restrito de pessoas que ainda escreve em maquinas de escrever mecânicas e nos primeiros tempos deverá haver oferta para todos os gostos .

    ResponderEliminar
  5. Tenho pena que o conceito de 2 ecrãs no mesmo portátil nunca ter pegado muito nas grandes marcas. Esta solução acho interessante e entra mais ou menos no mesmo conceito.

    ResponderEliminar

[pub]