2018/07/13

Baraja cria LIDAR sem partes móveis que custa poucas centenas de dólares


Um dos entraves para a utilização dos LIDAR em automóveis comerciais é o seu custo extremamente elevado, mas esse mesmo custo faz também com que esta seja uma área à espera de uma revolução; revolução essa que pode chegar do outro lado do mundo, da startup Australiana Baraja.

Um LIDAR tradicional consiste normalmente numa série de lasers e sensores colocados num bloco rotativo que gira a alta-velocidade, para detectar o relevo de tudo o que estiver em seu redor. O problema é que até há bem pouco tempo um desses LIDAR poderia custar 10 ou 15 mil euros; e quando se falava das versões económicas, eram referentes a modelos de 5 mil euros - valores ainda pouco apelativos quando se considera que um veículo poderá necessitar de 4 destes sensores.

A Baraja diz ter encontrado a solução para todos estes problemas com a sua tecnologia Spectrum-Scan. Do lado de fora do veículo ficam apenas módulos sem quaisquer partes móveis (e que no fundo são apenas prismas) sendo o laser gerado a partir de um módulo central no interior do veículo.


Tal como um prisma refracte a luz num ângulo diferente dependendo da sua cor, também aqui é usado o mesmo princípio, mudando-se o comprimento de onda do laser IR de modo a que os prismas o direccionem para onde for pretendido. O resultado final é a possibilidade de se fazer um "varrimento" sem necessidade de partes móveis mecânicas - e com inúmeras vantagens adicionais acrescidas, como a possibilidade do LIDAR se "focar" apenas em determinar área de interesse, se for necessário.


Por fim, para além da questão "preço" - que por si só já seria mais que suficiente para atrair as atenções para estes LIDARs - temos também o pormenor de que este sistema é imune a interferências de múltiplos LIDARs a funcionarem simultaneamente, algo que inevitavelmente se irá tornar numa situação comum em todas as estradas, e que estranhamente tem ficado "esquecido" por outros fabricantes de LIDARs.

Será desta que os LIDAR passam realmente para o grupo da tecnologia acessível para todos? Saberemos se um destes dias se vir a Tesla dizer que afinal vai passar a adicionar LIDARs aos seus automóveis.... ;)

4 comentários:

  1. E se for uma senhora de vestido vermelho a atravessar a passadeira numa zona onde o Lidar estava à espera de verde, será que mata a senhora ou faz um recorte a lazer no vestido para aparecer a roupa interior a verde?

    BTW, os aspiradores da Xiaomi têm um Lidar e custam "apenas" 300€ será que o facto de só terem de mapear a distancias mais curtas faz com que sejam assim tão mais economicos?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O LIDAR não "está à espera" de cores. O LIDAR mede apenas o tempo que demora a luz laser projectada a regressar, é irrelevante se está a atingir um objecto da cor "X" ou "Y".

      Os "LIDAR" dos aspiradores são como que uma versão "1D" destes LIDARs 3D a sério. :)

      Eliminar
    2. Mas este de estado sólido não faz variar o ângulo variando o comprimento de onda? isso faz com que cada cor corresponda a um ângulo... claro que estou a levar isto para a brincadeira de chamar cores aos comprimentos de onda, mas provavelmente é tudo ainda dentro dos infravermelhos.

      Pois o aspirador faz um mapa 2D, mas o principio de funcionamento com varrimento lazer deve ser o mesmo..

      Eliminar
    3. Sim, o comprimento de onda determinará para o onde o laser irá ser projectado, sem necessidade das partes móveis dos motores/espelhos.

      Eliminar

[pub]