2018/07/10

Operadores vão ter que alterar tarifários zero-rating - diz a ANACOM


No final de Fevereiro a ANACOM surpreendeu-nos ao mostrar que afinal estava atenta aos abusos cada vez maiores praticados nalguns tarifários dos operadores, chumbando os tarifários zero-rating. Agora, dá 50 dias aos operadores para que efectuem as devidas alterações.

Os operadores têm estado calados desde que a ANACOM fez o alerta inicial, mas agora têm um prazo de 50 dias para efectuarem alterações aos seus tarifários.

Em causa não está o fim dos tarifários com zero-rating (infelizmente), mas sim o facto de estarem a violar algumas regras; como não serem disponibilizados em roaming da mesma forma que funcionam em Portugal; ou da caricata situação de uma cliente poder ficar sem acesso à internet "normal" enquanto ainda tem gigabytes para gastar em serviços específicos.

Refira-se ainda que desta vez a ANACOM até faz a recomendação correcta, de que os operadores poderiam / deveriam aumentar o plafond de dados para uso geral, para se aproximar do valor total dos dados oferecidos nestes tarifários, e assim ficaria o problema automaticamente resolvido, sendo que ao mesmo tempo se poupava a complexidade (e mau exemplo) de ter tráfego discriminado por serviços na internet.

Esperemos que os operadores aproveitem esta oportunidade (forçada, é certo) para mostrarem um pouco de respeito pelos seus clientes; e ficamos a aguardar pelo primeiro a demonstrar a coragem de o fazer, aplicando um limite de dados genéricos que seja igual ao total de dados oferecidos para os serviços discriminados.

5 comentários:

  1. Há meses que chego a gastar 40Gb com o tarifario de 1GB da WTF, não me parece que depois disto passe a ser possível.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na Dinamarca há tarifários pre-pagos com 20Gb a custar 20€. Pós-pagos ainda são mais baratos: https://www.nettalk.dk/

      Eliminar
    2. Nota: 20€ na Dinamarca não é o mesmo que 20€ em Portugal.

      Eliminar
  2. Não entendo esta resolução da Anacome (e não Anacom, já que parece que só estão lá para se alimentar e não prestar um serviço realmente útil à comunidade).
    Por um lado escrevem: "O objetivo desta medida é evitar a discriminação entre conteúdos e/ou aplicações que integram plafonds de dados gerais, e que estão sujeitos a bloqueios ou atrasos quando esses plafonds se esgotam, e os conteúdos e/ou aplicações que integram plafonds de dados específicos ou sem limites de tráfego, e que não estão sujeitos a qualquer bloqueio ou atraso quando se esgota o plafond geral de dados. Esta prática, que é proibida pelo Regulamento TSM, no seu artigo 3.º, põe em causa os princípios da Internet aberta." e por outro tudo o resto indica que parece ser só uma recomendação e que os operadores na pratica podem fazer o que bem lhes apetecer, incluindo no roaming já que podem aplicar políticas de utilização responsável, também conhecido como: meter o limite que lhes apetecer.

    A menos que não esteja a entender alguma coisa os operadores podem deixar tudo exactamente como está apenas escrevendo as condições de prestação de serviço de tal forma que mantenha no roaming o que bem lhes apetecer de tráfego mas com a justificação de ser política de utilização responsável, que é o mesmo que dizer só usam o que nos apetecer dar-vos porque sim.

    ResponderEliminar
  3. A mim também me parece, isto de recomendações nem é preto nem é branco e assim não vale .

    ResponderEliminar

[pub]