2018/07/27

Vídeos promocionais do Galaxy Note 9 revelam desconhecimento dos Android


Em antecipação da apresentação oficial do novo Galaxy Note 9 a Samsung lançou mais uma série de vídeos, e embora desta vez não goze com os iPhones, continua a demonstrar um preocupante desconhecimento do panorama Android.

O novo Galaxy Note 9 vai ter mais memória, mais capacidade e mais bateria, e são esses os pontos em que se focam os três vídeo "teaser" lançados pela Samsung (temos um vídeo também dedicado ao desempenho, embora se espere que o Note 9 continue a utilizar os mesmos chips usados nos Galaxy S9). A evolução para os 6GB e 8GB de RAM será bem vinda, assim como versões com até 512GB de capacidade e a bateria de 4000mAh.


O problema é que a forma como a Samsung promove estas "novidades" parece estar bastante desfasada da realidade. No vídeo em que temos um utilizador desesperado com a bateria a acabar e a fazer tudo para a tentar prolongar, a Samsung esquece-se convenientemente de recorrer aos habituais modos de poupança de energia mais agressivos, pintando um cenário onde o utilizador desesperadamente vai desligando todas as opções (GPS, WiFi, reduzir brilho do ecrã, etc.) e onde apenas no final recorre a um power bank - que seria a primeira e mais óbvia opção no mundo real.



No vídeo sobre a falta de espaço, a Samsung parece esquecer-se que a maioria dos utilizadores Android utilizará o Google Photos, e que por isso não passará pelo "trauma" de ter que apagar fotos únicas para conseguir libertar alguns megabytes que precise para descarregar algum documento importante.



E quanto ao desempenho... bem, parece que a Samsung se está a esquecer que não é a única empresa a fazer smartphones topo de gama, e que não faltam no mercado smartphones com desempenho idêntico ou superior a tudo o que possa oferecer. Ainda mais quando estamos a falar de um segmento de mercado de smartphones com preço acima dos 1000 euros! Ninguém se queixa da falta de desempenho de um HuaweiP20 Pro (nesta gama de preços); mas o mesmo se aplica a modelos que custam metade deste valor, como o OnePlus 6, ou o ZenFone 5Z da Asus, entre muitos outros.


Se a Samsung estivesse a demonstrar as vantagens únicas oferecidas pelo S Pen neste novo Galaxy Note 9, ou como se pode transformar num "desktop" usando a dock DeX, ainda seria compreensível e apelaria ao público alvo do Galaxy Note; mas se estiver à espera que seja pela bateria, desempenho e capacidade que vá conquistar clientes... parece-me que está condenada a que o Galaxy Note 9 vá repetir o que se tem passado com o Galaxy S9.

1 comentário:

  1. O melhor negócio do mundo seria comprar a equipa de marketing da Samsung pelo preço que ela vale e vendê-la pelo preço que ela acha que vale.

    ResponderEliminar

[pub]