2018/08/19

S Pen do Galaxy Note 9 usa super-condensadores em vez de bateria


Com a chegada do Galaxy Note 9 ficamos a conhecer também uma nova geração da S Pen da Samsung, que agora passa a ser activa - mas recorrendo a um super-condensador em vez de bateria para funcionar.

Para além de estar disponível em amarelo (uma boa opção para quem tiver propensão para perder coisas, facilitando descobrir onde a pousaram) a nova Samsung S Pen necessita de energia para funcionar, ao contrário das versões passivas anteriores, podendo funcionar como controlo remoto a até 10 metros de distância. Mas em vez de adicionar uma bateria tradicional na "caneta", a Samsung optou por usar super-condensadores.

Os super-condensadores não têm capacidade para armazenar a mesma quantidade de energia por volume que uma bateria de iões de lítio, mas têm algumas enormes vantagens, como o facto de poderem ser carregados de forma quase "instantânea" e suportarem milhares e milhares de ciclos de carregamento sem qualquer degradação.

São características que se tornam de interesse especial para um acessório como a S Pen, pois bastam 40 segundos dentro do Galaxy Note 9 para que fique com carga suficiente para 30 minutos de utilização (ou cerca de 200 cliques na caneta). Uma vez que a maioria das utilizações da caneta serão de cura duração, é óbvio que se torna mais atractivo não ter que lidar com as questões da longevidade da bateria; sendo que mesmo para quem pretender utilizá-la por sessões mais longas, não ficará muito incomodado com uma pequena pausa de 40 segundos a cada meia hora de utilização.

Vai ser interessante ver se esta utilização de super condensadores pela Samsung poderá ajudar a dar mais visibilidade a esta alternativa, e se outros fabricantes seguirão as suas pisadas.

1 comentário:

[pub]