2018/08/17

Tecnologia está a tornar a China no "Big Brother" perfeito


Enquanto no ocidente olhamos para os smartphones e tecnologia como forma de ter maior liberdade e acesso a informação, a China está a tornar-se no exemplo oposto, utilizando muita da mesma tecnologia para controlar (ainda mais) os seus cidadãos.

Na China, um qualquer cidadão está sujeito a ser interpelado pela polícia enquanto caminha pela rua, com o seu smartphone a ser ligado a equipamentos móveis capazes de pesquisar toda a informação que contiver (contactos, fotos, redes sociais, sites que visitou, sítios por onde andou, etc.) em busca de conteúdos suspeitos ou ilegais.


Num instante, um smartphone passa do nosso "melhor amigo" ao nosso "pior inimigo", caso se tenha tido o infortúnio de ter algum conteúdo considerado indesejável para quem realiza a busca (de referir que um estrangeiro que queira entrar nos EUA se sujeita ao mesmo tipo de tratamento, pelo que a situação, nos seus variados graus de abuso, não se limita apenas a um único país - e ainda recentemente tivemos o caso do FBI a querer que a Google denunciasse todos os utilizadores que tivessem estado perto de locais de crimes.)

Adicione-se a isso a proliferação das câmaras de vigilância assistidas por sistemas de reconhecimento facial, e começamos a ter todos os ingredientes para a concretização de um Estado "Big Brother", onde é possível manter um controlo apertado sobre tudo o que os seus cidadãos façam... Não deixando também de se poder considerar as muitas possibilidades que ter um microfone em todas as casas possibilita, com os "smart speakers" com os seus assistentes digitais a entrar em milhões e milhões de casas - sendo que está previsto que a China ultrapasse o resto do mundo também nesses dispositivos muito em breve.

2 comentários:

  1. E também têm o sistema de crédito social:
    https://www.wired.co.uk/article/china-social-credit

    É assustador.

    ResponderEliminar

[pub]