2018/10/17

Google passa a cobrar pelas Google Apps Android em resposta às exigências da UE

A UE aplicou uma multa recorde à Google, e agora a empresa acede aos pedidos referentes ao seu "domínio" do Android, removendo as suas apps de base e passando a cobrar por elas.

Ao melhor estilo dos filmes "Wishmaster", onde pedir um desejo raramente resultava naquilo que era pretendido, também aqui temos um resultado que cumpre com que foi exigido pela UE... mas que acaba por penalizar todos os consumidores. A UE achou que a Google estava a abusar da plataforma Android - mesmo sendo uma plataforma open-source que qualquer fabricante ou concorrente poderia utilizar - ao aplicar regras que impediam que os mesmos pudessem utilizar as apps da Google caso pretendessem instalar apps concorrentes, ou que fossem obrigados a usar o motor de pesquisa da Google e deixar as suas apps em destaque.

Pois bem, a Google acaba com a maior parte dessas regras... mas em contrapartida, alegando que deixará de ter o acesso facilitado a todos os equipamentos dos parceiros (onde anteriormente estaria garantida a pré-instalação da app da Google e do Chrome, vai passar a cobrar uma licença pela instalação das chamadas Google Apps - as apps que a maioria dos utilizadores considera indissociáveis dos Android (Google, Gmail, Play Store, Google Maps, etc.)

Por muito reduzida que seja a licença, será mais um custo que os fabricantes obviamente irão transpor para o cliente final, fazendo com que os 4.3 mil milhões da multa que a Google foi condenada a pagar (mas que está a contestar) possam ser encarados como um mero adiantamento que virá a ser recuperado num prazo não muito alargado, por força desta mesma decisão... com a vantagem de ser uma receita que continuará a render ano após ano, mesmo depois de ter sido superado esse valor.

Estas alterações entrarão em vigor já a partir de 29 de Outubro, para todos os equipamentos Android vendidos na UE.


Actualização: taxa Google poderá chegar aos 35 euros por equipamento.

5 comentários:

  1. Até aqui eram os "concorrentes" que pagavam por não conseguirem "impor" as suas apps. Agora pagamos nós por eles não conseguirem "impor" as suas apps... Bem ao estilo da taxa sobre cartões de memória da SPA. Pagamos todos que dói menos.
    Obrigado UE.

    ResponderEliminar
  2. Esta decisão de UE foi mesmo ridícula e agora nós é que pagamos a fatura.
    O Android já é livre e fabricantes podiam fazer versões alternativas. Esta imposição não faz sentido e agora levamos com uma taxa em todos os telemóveis

    ResponderEliminar
  3. "A UE achou que a Google estava a abusar da plataforma Android - mesmo sendo uma plataforma open-source que qualquer fabricante ou concorrente poderia utilizar"

    Temos então:
    - O vilão: a UE
    - O inocente perseguido: a Google
    - O enredo: Desinteressadamente, o inocente trabalha para o bem comum - pôs à disposição de todos o Android. Tem umas regras que impõe aos fabricantes, mas não são no seu interesse, são para proteger os utilizadores. O vilão diz que essas regras são apenas para ficar cada vez mais rico e impedir a concorrência. É uma aleivosia! E ferrou uma valente multa no inocente que, coitado, não tendo meios para pagar, teve que pedir aos fabricantes que contribuíssem.

    In: "Histórias da Carochinha" ;-)

    ResponderEliminar

[pub]