2018/11/06

Chrome 71 vai bloquear publicidade total em sites abusivos


O Chrome prepara-se para complicar a vida a todos os sites que recorram a publicidade particularmente abusiva, já no próximo mês, com a chegada do Chrome 71.

Há algum tempo que a Google começou a incluir no Chrome um ad-blocker que removia publicidade considerada abusiva, mas o sistema pecava por não ser suficientemente agressivo para lidar com os sites mais abusivos - algo que a Google irá rectificar com a chegada do Chrome 71 com protecções adicionais.


A Google diz ter detectado que o seu sistema anti-sites abusivos não era capaz de lidar com alguns dos sites que recorrem às tácticas mais criativas para enganarem os visitantes, e que incluem sites que iludem o utilizador de modo a que clique naquilo que pensa ser um botão para ver um vídeo, ou para fechar um popup, ou um botão de "next", ou até uma barra de scroll, mas que na verdade são apenas métodos para captar o clique do rato ou toque do utilizador, para despoletar downloads de conteúdos (quase sempre maliciosos), ou tentar abrir inúmeros popups adicionais.

Os sites que recorrerem a estas e outras tácticas para enganar os visitantes irão, com o Chrome 71, passar a levar com o bloqueio total de publicidade - esperando-se que isso sirva como dissuasor para que os sites refreiem os abusos (considerando o peso do Chrome no mercado, e que isto passará a ser feito para todos os utilizadores, mesmo os que não usam um ad-blocker dedicado, vai ser interessante analisar o impacto).

De resto, já sabem que não precisam depender da Google para bloquear a publicidade e scripts abusivos, bastando recorrer a algo como o uBlock Origin, e permitindo a publicidade apenas nos sites onde considerem que isso seja aceitável.

2 comentários:

  1. Algo que o browser Brave (https://abertoatedemadrugada.com/search/label/Brave), também ele baseado no Chromium, já faz há algum tempo e bastante bem, IMHO.

    ResponderEliminar
  2. Já estou mesmo a ver a realidade, vai bloquear as publicidades que não são deles, e depois vão levar mais uma multa da UE.

    ResponderEliminar

[pub]