2018/11/15

Como funciona o Night Sight da Google?


O modo Night Sight que a Google estreou no Pixel 3 tem estado a fascinar tudo e todos com a sua capacidade de tirar fotos com qualidade em ambientes de baixa luminosidade, e agora que chegou aos demais Pixel, a Google revela um pouco dos segredos que se escondem por trás deste modo.

Não é segredo que uma câmara fotográfica consegue captar imagens em baixa luminosidade usando exposições mais prolongadas; o difícil é criar um sistema que permita fazê-lo de forma eficaz, quando um utilizador está a segurar no smartphone com as mãos (e podendo "abanar" o smartphone); ou quando existem elementos em movimento na fotografia.

É nestes aspectos que o Night Sight da Google se vem tornar na nova referência para este tipo de processamento, incentivando que todos os outros fabricantes se comecem a dedicar também a esta questão.


Com o Night Sight, o Pixel 3 consegue transformar literalmente as fotos que noutros smartphones seriam "às escuras", em fotos que quase parecem ter sido tiradas durante o dia. Para isso o sistema começa por determinar se o smartphone está verdadeiramente imóvel ou se está a ser segurado por um utilizador. No primeiro caso o Night Sight opta por captar diversas imagens com exposições mais prolongadas; no segundo caso, para evitar os inevitáveis abanos das mãos humanas, o sistema recorre a exposições mais reduzidas, mas captando maior número de imagens.

Até aqui, qualquer empresa conseguiria chegar... e é a partir daqui que as coisas se diferenciam.


Combinar estas imagens seria relativamente simples no caso de serem imagens imóveis (como uma paisagem) e de se utilizar um smartphone num suporte fixo. Só que em circunstâncias normais isso raramente acontece, havendo que lidar com o movimento das mãos, e dos elementos na fotografia. É aqui que a Google aplica a magia do seu processamento, para identificar as partes da imagem que estão em movimento e determinar como devem ser combinadas. Mesmo em casos extremos com pessoas a mexerem-se, o Night Sight consegue resultados impressionantes - separando-o de outros sistemas de "longa exposição", que resultariam em "imagens esborratadas".



Por fim, temos ainda um processamento final, no qual a Google recorre a A.I. para corrigir as cores, para que não fiquem com as cores pouco naturais que são frequentes neste tipo de processamento de combinação de frames.


Oficialmente o Night Sight está apenas disponível para os Pixel da Google, mas não-oficialmente existem já diversas versões modificadas da app Google Cam que permitem a sua utilização noutros smartphones - e nalguns deles também se tendo acesso a este Night Sight, como é o caso dos OnePlus 6/6T, Xiaomi Mi 8, Mi Mix 2S e Pocophone F1; com mais smartphones a serem adicionados regulamente.

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]