2018/11/04

Continental quer pilares transparentes nos automóveis via ecrãs OLED


Enquanto os automóveis autónomos não nos libertam de ver a estrada, há quem esteja a trabalhar para nos desobstruir a visão. A Continental propõe um engenhoso sistema com ecrãs OLED para tornar os pilares dianteiros "transparentes".

Os pilares dianteiros (pilares A) dos automóveis têm crescido nos últimos anos, em resposta às necessidades acrescidas de segurança. Com isso, vão reduzindo o campo de visão do condutor, podendo facilmente tapar mais de um metro de área visual a alguns metros de distância; área suficiente para fazer com que um condutor não tenha percepção de um peão ou ciclista.

A Continental propõe um sistema que recorre a ecrãs OLED montados nos pilares, para os tornar "transparentes". Este não é o primeiro sistema do género a ser proposto, mas desta vez conta com alguns detalhes extra que o tornam mais interessante. É que neste sistema da Continental, que também recorre a câmaras para ver o que se passa no exterior, é tido em conta a localização da cabeça do condutor, de modo a que, quando ele se move, a perspectiva da imagem é actualizada, para criar a verdadeira ilusão de que o pilar é transparente e não apenas um ecrã a mostrar uma perspectiva fixa.

Outras marcas também têm trabalhado neste sentido - a Toyota registou uma patente que fazia o mesmo usando um sistema de prismas e espelhos (que terá a vantagem de dispensar as câmaras e funcionar sem depender do sistema electrónico). Agora é só aguardar para saber se, algum dia, alguma destas soluções irá chegar ao mercado. Sem dúvida que, mesmo num carro autónomo, seria interessante poder viajar num veículo que nos permitisse ver tudo em nosso redor.

3 comentários:

  1. É mais o do lado do condutor - tapa uma área muito maior (é como pôr a mão à frente dos olhos ou afastá-la). Os peões do lado do condutor numa passadeira pensam que estão a ser vistos e não estão.

    Tenho mais receio do "ângulo morto" dos espelhos quando o que vai frente ou a entrar numa bifurcação não nos vê e muda para a nossa via - mesmo com traço contínuo. Também já me calhou não ver, sobretudo com trânsito lento e os carros praticamente a par.
    O pessoal das reviangas (e os das motas) às vezes pensa que está a ser visto e não está Outras está, mas o pessoal finge que não vê e aperta com eles fechando a passagem - já vi fazer isso e não sei como não deu em mortes.
    P.S. Carros e motas não combinam bem. Apertar com motas é criminoso, mas quem vai na mota tem que ter a perceção que há uma elevada probabilidade de não ser visto. Mostrar o dedo e insultar, partindo do princípio de que toda a gente é cabrão, também não ajuda.

    ResponderEliminar
  2. Com tanta tecnologia e dado o custo das reparações vai ser impossível manter um carro por mais de 5 anos. A ideia de a sociedade ser mais verde é mesmo só uma ideia e forma de justificar impostos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Com muita pena minha, e apreciando imenso a forma como se está a tentar resolver rsta questão da invisibilidade do pilar A, sou levado a concordar com essa tese... :(

      Eliminar

[pub]