2019/01/29

Apple prepara "Netflix" para jogos (e apps?)


Com as vendas de iPhones a estagnarem, a Apple precisa mais que nunca de transitar as suas receitas para os serviços, e para além do iCloud e Apple Music, parece que está a preparar um serviço de subscrição, ao estilo de um "Netflix" para jogos.

Serviços de subscrição de jogos não são propriamente novidade, existindo em diferentes modalidades nas plataformas Xbox, PlayStation, e até a Electronic Arts já seguiu o exemplo na sua Origin. E agora, parece que a Apple quer fazer o mesmo com um serviço que dá acesso a uma selecção de jogos mediante o pagamento de uma mensalidade.

Há muito que a Apple tem incentivado os developers a migrarem das apps e jogos "freemium" para mensalidades, e sem dúvida que o pagamento de uma única mensalidade para acesso a muitos e variados jogos seria mais atractivo do que a perspectiva de pagar várias mensalidades para cada um deles. No entanto, irá também por à prova a capacidade dos clientes serem convencidos a pagarem mais uma nova mensalidade para além daquelas que potencialmente já acumulam.

Seja como for, parece-me uma aposta inevitável que terá que ser feita pela Apple, e que talvez no futuro até se possa expandir ao acesso a apps mais genéricas e não apenas a jogos; o que tornaria o iOS numa plataforma "com mensalidade" onde não se tivesse que pensar mais no custo que cada app individual poderia ter... Poderá não ser fácil chegar-se a esse ponto, mas sem dúvida que a Apple será a empresa mais bem posicionada para o conseguir fazer.

5 comentários:

  1. Epá, eu fujo das subscrições como o diabo da cruz!

    Já temos tantos serviços quase que obrigatórios e essenciais... Apesar de não serem verdadeiramente subscrições (pagamos apenas aquilo que consumimos), já pagamos a "subscrição" da casa com o IMI, "subscrição" da electricidade, a "subscrição" da água, a "subscrição" do gás, a "subscrição" do serviço Internet/TV/Tlf, etc

    Chamem-me "cota" ou "old fashion", mas não compreendo, do ponto de vista do consumidor, como é que é positivo ter mais um serviço de subscrição...
    Se calhar só sou eu a pensar, e para muitos devo estar completamente errado, mas prefiro:
    1. comprar um disco a ter um serviço na nuvem;
    2. comprar cd/discos/mp3 do que ter um serviço com milhões de musicas, das quais só ouço meia dúzia por dia...
    3. comprar os jogos e poder joga-los daqui a 5 anos, do que ter um serviço de subscrição, em que do nada retiram do mercado, sem possibilidade de os voltar a jogar...
    Ainda bem que, apesar de ser "consumir" iPhones de à uns anos para cá, não fiz nenhuma declaração de lealdade para com a Apple, e ainda posso escolher o produto que melhor me serve.
    Estou para ver até quando o mercado aguenta tantas subscrições...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo perfeitamente. Existem porém uns quantos que acham que por ganharem bem e por isso subscrevem tudo e mais alguma coisa, todos os demais devem ganhar igualmente bem e por consequência aderir a tudo o que é serviços pagos. Quanto mais se ganha, mais se gasta!

      Eliminar
    2. Eu também sou dos que tradicionalmente se afasta das "subscrições". Dito isto, há umas que não se podem evitar (água, electricidade, etc.), e outras que terão que ser ponderadas caso a caso (por exemplo, pago Netflix desde que chegou a Portugal, e não me arrependo nada).

      Eliminar
  2. Pois eu já prefiro as subscrições, e dou só um exemplo, quando os formatos mudam e vai sempre acontecer o que comprámos fica obsoleto, aconteceu com o VHS , aconteceu com os discos de vinil ( embora se continue a vender muito, aparentemente existe uma legião de admiradores deste formato, eu não sou um deles ) , irá acontecer a quem comprou musicas em MP3 e por aí adiante , resumindo a mim não me interessa absolutamente nada ter não sei quantas cassetes de VHS com filmes ou até discos de vinil se eu já lhes vou dar nenhum uso e só me ocupam espaço , prefiro que outros invistam por mim e daí a opção das subscrições , tenho o spotify pago a única queixa que tenho é que a biblioteca poderia ser mais recheada e já agora a qualidade do streaming deveria ser bem melhor, mas a vantagem de termos não sei quantos títulos há mão é uma dádiva .

    ResponderEliminar

[pub]