2019/01/13

França quer "sabotar" Netflix com plataforma de streaming nacional


A França tem uma posição bastante marcada na protecção dos seus conteúdos, e está a preparar uma plataforma de streaming nacional - Salto - com o qual espera retirar todas as produções francesas do Netflix.

A União Europeia já obrigou que plataformas de streaming oferecessem um mínimo de 30% de conteúdos locais (não sei se isso estará a ser cumprido no caso de Portugal) mas parece que isso não é suficiente para o estado Francês. Os canais estatais nacionais, a par da M6 e TF1, uniram-se para criar uma plataforma de streaming chamada Salto, que terá o poder de exigir a remoção dos conteúdos das plataformas de streaming concorrentes.

A plataforma está a aliciar os produtos com a promessa de que comprarão mais das suas produções; mas por outro lado parecem estar a esquecer-se que: 1) o sucesso da plataforma (ainda não funcional) estará dependente de terem clientes suficientes para que seja economicamente viável - e nesta fase ainda nem sequer se sabe quanto é que isso irá custar; 2) ao fecharem as portas à Netflix para darem preferência a uma plataforma exclusivamente francesa, fecham também as portas a que os seus conteúdos tenham um alcance mundial.

Vai ser interessante ver no que é que isto vai resultar: mas parece-me que mesmo no improvável caso de que que venha a ser sustentável, será uma pena ver o país a fechar-se mais sobre si mesmo, em vez de lutar para que mais e mais das suas produções nacionais pudessem chegar a todas as pessoas em todos os cantos do mundo. (Por exemplo, por conta da Netflix já vi uma dezena de séries espanholas e filmes, que de outra forma não teria visto; assim como programas de países como México, Brasil, Dinamarca, etc.) Só me interrogo porque é que não temos produtores portugueses a aproveitar o investimento que a Netflix está a fazer a nível de produções locais - seguramente não será por falta de talento ou de ideias em Portugal.

11 comentários:

  1. "seguramente não será por falta de talento ou de ideias em Portugal"

    Então é falta do quê ??????
    Por mim deve-se à mediocridade que ainda impera em Portugal!

    ResponderEliminar
  2. França sendo socialista assim como a UE,ainda bem que a Inglaterra esta a pular o barco.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Achas mesmo que UK vai ficar melhor fora do mercado global?!...claro que não!!

      Eliminar
  3. No fundo, tudo se irá resumir, como sempre, às mediocres, obtusas, estúpidas e idiotas regras dos "direitos de autor".

    Que é o mesmo que dizer: os poderosos do costume é que mandam nas plataformas de conteúdos multimédia, e quem aceitar essa usura terá direito a uma vesga de "sol".

    ResponderEliminar
  4. Claro que a Netflix não está a cumprir com os 30% de cota para produtos nacionais, lembro que uma medida idêntica está em funcionamento há alguns anos na rádio, com cotas bem definidas para conteúdos nacionais, não sei como é que funciona internamente a Netflix no que respeita ao financiamento e aprovação de conteúdos, mas confesso que gostava de ver conteúdos Portugueses.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu gosto de ver algo com o mínimo de interesse, português ou chinês, quero lá saber...
      Essa das cotas na rádio e TV só serve para as mãos estendidas dos medíocres. Subscrevi o Netflix sabendo ao que ia e o que oferece. Se a cota obrigar a um aumento da mensalidade... :(
      Anyway, quanto ao post, não se esqueceram do típico chauvinismo gaulês, pois não?

      Eliminar
    2. Ainda não vi nada na Netflix que fosse português de Portugal, só coisas brasileiras. E nem as legendas dos filmes são em português de Portugal.....

      Eliminar
    3. Como? As legendas de TODOS os episódios de todas as séries / filmes na Netflix estão em português do Brasil?

      Eliminar
    4. Estão em Português de Portugal... embora por vezes tenham alguns erros - e nem sempre coincidem com as dobragens feitas em Português (de portugal também - por exemplo, nos programas infantis.)

      Eliminar
  5. "... uma plataforma de streaming chamada Salto que terá - o poder de exigir a remoção dos conteúdos das plataformas de streaming concorrentes."

    Achei muito estranho esse "poder". Andei a ler as notícias (em francês, pois) e garanto que não têm nada disso escrito. Deve ter sido algum site americano que inventou.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É só seguir o link que está no post...
      http://www.lefigaro.fr/medias/2019/01/11/20004-20190111ARTFIG00065-france-televisions-s-entend-avec-les-producteurs-pour-retirer-ses-series-de-netflix.php

      Eliminar

[pub]