2019/02/27

OnePlus 7 sem carregamento wireless


Para grande desapontamento dos fãs, o CEO da OnePlus já veio revelar que o próximo OnePlus 7 não irá contar com carregamento wireless.

O próximo OnePlus 7 poderá ser um smartphone com praticamente tudo o que se possa desejar num topo de gama de 2019, mas há pelo menos uma coisa que não vai ter: carregamento wireless. Foi Pete Lau que veio dar a notícia aos fãs, e voltando a usar a mesma desculpa que já usou no passado. Diz ele que a tecnologia de carregamento wireless "não é suficientemente rápida" para dar a mesma experiência de utilização que a OnePlus oferece no carregamento rápido com cabo.

Uma desculpa curiosa, que se vai tornando cada vez mais difícil de engolir. Ninguém está a pedir carregamento wireless como forma de competir com o carregamento por cabo, e isso fica mais que confirmado ao ver a maioria dos fabricantes a disponibilizá-lo nos seus smartphones. Para além da Samsung, que o faz há muitos anos, até a Apple aderiu ao sistema, e mais recentemente a Xiaomi.

O carregamento wireless é atractivo por uma questão de conveniência, onde basta pousar o smartphone numa base, ou até no suporte do automóvel, e pronto - nada de chatices com "tira e mete" cabos, ou ter o cabo com a ficha certa à disposição.

... Veremos se a desculpa se mantém para o OnePlus 7T daqui por mais alguns meses...

4 comentários:

  1. Existem até automóveis que já têm a opção de carregamento wireless para telemóveis

    ResponderEliminar
  2. Alguém já parou para pensar o quanto é ineficiente o carregamento wireless do pondo vista da energia desperdiçada, a nível pessoal pode ser insignificante, mas se todos carregassem assim quanto seria desperdiçado?
    Para não falar que é também mais uma aparelho e emitir radiação electromagnética, assunto polémico, mas pelo sim e pelo não...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, representa perdas adicionais. Teoricamente, o carregamento Qi pode chegar aos 80% em casos ideais, mas em casos práticos andará mais perto dos 60-70%.

      Dito isto, é preciso não esquecer que estamos a falar de níveis de energia reduzidos. Mesmo que se considerasse mil milhões de carregadores, este acréscimo da componente "wireless" seria irrelevante face a qualquer outra coisa que se queira comparar: lâmpada, televisor, frigorífico, para não falar em aquecedores, torradeiras, placas de indução ou outras coisas que gastam milhares de watts.

      Se se quisesse levar a eficiência mais a sério, começávamos já por abolir todos os motores de combustão (um motor a gasolina tem uma eficiência de cerca de 20%...)

      (Quanto às radiações, os carregadores apenas se activam quando detectam um dispositivo válido para carregar e numa distância muito reduzida: ficamos sujeitos a muito mais radiações EM quando estamos a fazer um telefonema com o smartphone encostado à cabeça.)

      Eliminar
  3. A meu ver nem faria sentido ter. Quando temos um carregador super rápido que carrega 80% em meia hora, para quê um carregamento sem fios que demora n vezes mais. Só iria tornar o produto mais caro sem necessidade,que é precisamente o oposto da ideologia da oneplus.

    ResponderEliminar

[pub]