2019/02/22

PureVPN contorna o traffic shaping e mantém os dados seguros


O abrandamento dos streams feitos por alguns operadores portugueses fez reacender o interesse pelas VPNs, e uma das mais populares é a PureVPN.

Para quem não souber o que é uma VPN (e não é vergonha nenhuma não o saber), trata-se de uma "Virtual Private Network" que consiste em criar um canal de encriptação entre o nosso computador (ou smartphone) e o serviço escolhido. Explicando de forma mais simples, é o equivalente a que, em vez de fazerem um telefonema directamente para o destino que querem contactar, fazem uma chamada telefónica codificada para um número de telefone intermédio, e desse telefone é que é feita a chamada para o destino final. Para quem receber a chamada, é como se estivesse a ser feita a partir daquele número intermédio, sem forma de saber qual a vossa localização original; e uma vez que a chamada entre o número intermédio e o nosso está encriptada, é também impossível saber para quem estavam a telefonar ou o que estavam a dizer.

Transpondo-se isto para as comunicações electrónicas, usando um serviço como este PureVPN ficamos com mais de 2000 servidores "intermédios" à disposição, distribuídos por mais de 100 países. Graças a isto, torna-se possível aceder a conteúdos que à partida estariam bloqueados apenas a visitantes de determinado país (escolhendo-se o país respectivo), e com a vantagem adicional que o nosso operador de comunicações deixa também de poder espiar aquilo a que se está a aceder - inviabilizando qualquer tipo de bloqueio de sites ou aplicação de traffic shaping a dados específicos. Tudo o que o operador consegue ver é uma "mixórdia" de dados a serem enviados e recebidos pelo utilizador, sem saber o que seja.

Outra vantagem adicional, a utilização de uma VPN num smartphone ou portátil quando se está fora de casa é também uma excelente forma para nos precavermos contra redes WiFi duvidosas. Mesmo que a rede WiFi esteja a tentar espiar o que fazemos, ficará na mesma posição que o operador de comunicações, não conseguindo espiar o que se estiver a fazer.


A PureVPN disponibiliza tráfego ilimitado e indiscriminado (quer seja serviços de streaming, torrents, ou de qualquer outro tipo) e está disponível para praticamente todos os dispositivos: Windows, Macs, Android, iOS, consolas de jogos, smart TVs, routers, e outros.


Nesta altura o serviço está disponível por apenas $2.88 / mês (cerca de €2.50) se optarem pela subscrição de 2 anos, mas se apenas necessitarem de o utilizar ocasionalmente, poderão também optar por pagar apenas um mês, embora a preço muito menos convidativo.


P.S. Temos algumas contas PureVPN de um mês para oferecer, o que já vos permitirá avaliar o serviço. Fica atento aos próximos passatempos.

8 comentários:

  1. Esta VPN deverá ser evitada a todo o custo, ela regista logs que permitem identificar os utilizadores. Caso tenham dúvidas consultem os seguintes site internacionais que mostram como o FBI apanhou uma pessoa que usava essa VPN.

    https://betanews.com/2017/10/09/purevpn-logs-fbi/
    https://securitygladiators.com/fbi-purevpn/
    https://torrentfreak.com/purevpn-logs-helped-fbi-net-alleged-cyberstalker-171009/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E qual é o problema de a PureVPN ter colaborado com o FBI para apanhar um criminoso merdoso através da identificação do seu IP?
      Qualquer empresa decente o faria.

      Eliminar
    2. Não tem problema, mas têm que ser claros quando vendem o serviço. Se dizem que não guardam logs e na verdade guardam, é incumprimento com o cliente.

      Eliminar
    3. Guardam os logs ... não guardam os logs ... a política de privacidade tem que ser clara nos termos - e é o que lá está escrito que vale, para se saber se cumpre ou não cumpre com o cliente.

      A política de privacidade da PureVPN garante que lhe é impossível conhecer o IP de quem usa a sua VPN - por ordem de autoridades legítimas?

      Por exemplo, a Apple garante que não possui os meios técnicos para desencriptar o conteúdo de um iPhone bloqueado - seja qual for a entidade que o exija. Mas não diz o mesmo relativamente ao conteúdo das contas iCloud - e, em certas condições, tem entregue o conteúdo dessas contas às autoridades.

      Nas políticas de privacidade convém sempre ler o que lá está escrito quanto à colaboração (cumprimento de ordens) das autoridades.

      "Eh pá, mas a PureVPN está sediada em Hong Kong ... agiu bem ao colaborar com o FBI para apanhar um criminoso merdoso ... mas amanhã também pode entregar às autoridades chineses um opositor que discorda do regime".

      É possível. Mas convém ler o que diz a política de privacidade quanto à colaboração com as autoridades. Uma referência vaga a "não guarda logs" não chega - pode habitualmente não guardar ... mas por ordem das autoridades guarda.

      Eliminar
    4. Quem usar uma VPN para ocultar os negócios de tráfico de droga, pedofilia, terrorismo ou simplesmente amantes que anda a engatar, é provável que fique preocupado. Com esta VPN ou outra qualquer. Quem tem factos a ocultar terá sempre um motivo de preocupação. Quem usa uma VPN para poder aceder aquilo que comercialmente não conseque aceder por questões de licenciamentos, terá certamente a consciência muito mais descansada.

      Eliminar
  2. Isto parece ser um pouco publicidade encapotada?
    Existem muitos de serviços de VPN bem mais barato...

    ResponderEliminar
  3. Muito cara! Não há coisa segura e em conta; algo que seja razoável?
    Não entendo, mas acho que pululam na própria NEt carradas de serviços só porque sim e para nos tentar a pagar... Será tudo preciso e valem quanto querem-nos fazer pagar!?

    ResponderEliminar
  4. Preciso de uma VPN para um telemovel e dois pc. Alguém me dá uma ajuda? Não percebo nada destas coisas. Comprimentos

    ResponderEliminar

[pub]