2019/03/23

Boeing adia teste da cápsula espacial Starliner


Contrariamente ao que tem acontecido com a SpaceX, a Boeing parece estar a enfrentar dificuldades no desenvolvimento da sua cápsula espacial Starliner, indicando que irá adiar o teste de voo do próximo mês para Agosto, na melhor das hipóteses.

A nova corrida espacial pelo desenvolvimento de uma cápsula capaz de transportar astronautas até ao espaço - e não só até à ISS como também até à Lua e mais além - está repleta de dificuldades. Por agora, a SpaceX leva vantagem, ao já ter realizado o primeiro voo não-tripulado até à ISS e regressando com sucesso, e com isso aproximando-se do primeiro voo de teste com tripulação.

Já no caso da Boeing, cujo teste de voo até à ISS, também sem tripulação, deveria acontecer já no próximo mês - vê-se agora relegada para uma posição mais tardia, devido a alguns problemas técnicos e também de agendamento na sua plataforma de lançamento, adiando as aspirações da Boeing para Agosto, ou até mais tarde.

Isto deixa a Boeing em risco de apenas fazer o seu primeiro teste espacial numa altura em que a SpaceX já terá efectuado o primeiro voo tripulado, que poderá acontecer já em Julho, caso o próximo lançamento de teste para validar o sistema de escape de emergência decorra como previsto.

6 comentários:

  1. Não acham no m+inimo estranho que com aquela caixa de fósforos meteram 2 gajos na lua e agora com esta tecnologia toda de ponta existam tantas dificuldades? Estranho no mínimo, é a mesma coisa que tentarem atravessar o deserto com um carro de bois e depois dizerem que estão a ter mais dificudades em atravessar o mesmo deserto com um jipe...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não é minimamente estranho!! A NASA meteu alguem na lua porque estava numa corrida contra a Russia, já comparaste o budget que tinham com o que têm agora? É drasticamente mais baixo.
      Depois estas a comparar uma Agencia do governo com empresas privadas que têm de dar lucro.
      Estas empresas para ganharam este contrato tem cumprir muitos requesitos que a NASA não tinha de cumprir naquela altura.
      Depois é preferivel que a competição seja feito por empresas.

      Eliminar
  2. E que tal pensarem, se foram à lua com um foguetão nos anos 60, porquê não conseguem, ainda que com o mesmo, e com tecnologia mais avançada, voltar lá?!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Onde foste buscar essa afirmação que nao conseguem lá chegar actualmente?
      Então o tesla que está a caminho de marte foi lá colocado com que tecnologia?

      Eliminar
  3. Foram à lua varia vezes até... Mas os requisitos de segurança eram ridiculamente mais baixos. Foram vários os acidentes, quase acidentes e mortes.

    ResponderEliminar
  4. Nem é que os requisitos de segurança fossem ridiculamente mais baixos, não estou em condição de ajuizar nem na posse de muitos dados, mas a questão da segurança sempre foi levada a série certamente. Que foi mais arriscado foi, é verdade, agora também é verdade que depois do Sputnik, toda a sociedade americana ficou mobilizada para a exploração espacial e o tema invadiu a cultura popular de uma forma extraordinária, logo havia margem política para se orçamentar quantidades gigantescas de dinheiro para fazer viver o sonho e disputar uma competição por influência. Acho que só desconhecendo esse contexto é que se cai nessa simplificação de que hoje em dia não se consegue chegar lá. Primeiro temos milhares de satélites em órbita a manter o nosso sofisticadíssimo lifestyle, temos imensas sondas e um telescópio que vai ser renovado, mas a estação espacial internacional... A verdade é que a Lua aos olhos das agências espaciais perdeu atractividade, já se provou que se pode ir lá, mas essa fronteira já foi aberta e o benefício público de gastar milhares de biliões de doláres é dúbio, e as pessoas exigem hoje mais serviços públicos ou quebras de impostos do que exploração espacial. Já não há momentum, daí o foco nas agências privadas que são as que estão em melhor condição de valorizar a Lua por via de iniciativas comerciais, turismo, mineração, etc.

    ResponderEliminar

[pub]