2019/03/10

Honda vai electrificar toda a sua gama até 2025


A Honda anunciou no Salão Automóvel de Genebra a sua intenção de aplicar motorizações eléctricas à totalidade das suas vendas de automóveis na Europa até 2025.

Esta nova ambição surge no seguimento do objectivo da marca feito em 2017 de ter dois terços das suas vendas electrificados até 2025, colocando essa visão no centro da vanguarda da electrificação global da Honda anunciada como parte do seu objectivo estratégico para 2030.

Falando em conferência de imprensa, Tom Gardner, vice-presidente sénior da Honda Motor Europe, disse: “…desde que assumimos aquele primeiro compromisso em Março de 2017, a mudança para a electrificação aumentou consideravelmente o seu ritmo. Os desafios ambientais continuam a impulsionar a procura por uma mobilidade mais limpa. A tecnologia avança implacavelmente e as pessoas começam a mudar a sua visão do que pode ser um automóvel.”

Honda E Prototype revelado

Uma outra prova da ambição de electrificação da Honda assume a forma do protótipo Honda E. Revelado pela primeira vez no Salão Automóvel de Genebra, este veículo deixa antever como será o primeiro veículo eléctrico a baterias de produção da Honda para o mercado europeu. Posicionado como veículo utilitário para ambiente urbano, este veículo oferece uma autonomia muito competitiva superior a 200 kms e uma funcionalidade de “carga rápida” que carrega as baterias a 80% da autonomia em apenas 30 minutos. O veículo possui a dinâmica de condução característica da Honda numa configuração desportiva de tracção às rodas traseiras. A versão de produção do protótipo Honda E será apresentada ainda este ano. Os clientes já podem registar-se e receber actualizações no website da Honda, podendo também reservar o veículo nos mercados europeus seleccionados a partir do início do Verão.

[via Pela Estrada Fora]

9 comentários:

  1. Sempre gostei da Honda, aliás, já tive 2 Civics.
    Adoro o design deste, mas pouco mais do que 200km?!?
    E aposto que será mais um na fasquia dos 40000€.
    Detesto essa coisa de um carro "citadino"...
    Ok, pequeno e maneirinho para estacionar e andar nas ruas "estreitas", mas também se sai das cidades num citadino, ou não?
    ... Pouco mais de 200km?!?!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Está em linha com a autonomia da primeira versão do Nissan Leaf. Chega perfeitamente para o dia-a-dia, para a maioria das pessoas, mas claro que não satisfará todas as necessidades. O sucesso do modelo vai ser determinado pelo preço, imo.

      Eliminar
    2. 200km dá para os percursos da grande maioria das pessoas. Isso só por si é suficiente para ter um mercado próprio. Mais km significa mais bateria, mais bateria significa ficar muito mais caro, mais pesado e provavelmente maior. De repente já não é o mesmo carro e mudaste de mercado.

      Eliminar
  2. Venha de lá esses carros elétricos para os Açores! Esses 200km dão me para uma semana, incluindo passeio de fim de semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Infelizmente nao vivemos todos nos Açores e por cá, no Continente, os 200km são escasso. Gastar 40k€ num carros com 200km de autonomia parece-me uma opção pouco racional, muito pouco mesmo.

      Eliminar
    2. "Cerca de metade (dos condutores portugueses) percorre entre 50 e 200 quilómetros por semana".

      Factos vs opiniões

      Eliminar
    3. Eu vivo no continente e 200km chegam para as minhas deslocações durante 2 a 5 dias.

      Este carro equipara-se a um Leaf de 1ª geração mais pequeno e ainda não tem preço anunciado, mas se vier a custar mais que 30k€ não deverá ter muita procura.

      Se a opção é racional ou não depende do raciocínio que se fizer: económico, ambiental, considerando a saúde pública, gosto pela estética, etc.

      Do ponto de vista económico depende de como se fazem as contas:
      - só ao preço de aquisição?
      - preço de aquisição + preço de manutenção + preço de energia?
      - compra com incentivo? para empresa, abate do iva?
      - durante quanto tempo se pensa manter o carro?
      - quantos km anuais?

      Eliminar
  3. Estava-me a referir à parte economica, 40k€ ou mesmo 30€ para um carro dessa gama (segmento utilitário), para andar 200km por semana (tipicamente) é dificil justificar.
    Os carros equivalentes a gasolina custam metade do preço!

    Para o utilizador "normal", que ande 10000km/ano, a poupouça gerada pela utilização do electrico dificilmente justifica o "dobro" do preço.

    Penso que o preço dos carros electricos precisa de baixar (e felizmente é essa a tendencia) mais para se tornarem economicamente interessantes e sua massificação acontecer.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lá está. Depende do perfil de utilizador.
      Mas começa por dizer que 200km são curtos e depois diz que 200km já chegam para uma semana...
      O que costumo dizer é que cada um deve analisar o seu perfil de utilização e fazer as contas. Dependendo de vários factores, o custo de aquisição mais elevado pode ser anulado ao fim de apenas 5 anos... é fazer contas.

      Eliminar

[pub]