2019/03/01

Sites de notícias portugueses confundem deliberadamente visitantes para recolher dados


Já era sabido que poucas coisas boas podiam advir da adopção do Nonio pelos grupos editoriais nacionais, mas pelo menos podiam disfarçar um pouco melhor a sua completa falta de respeito pelos visitantes, deliberadamente confundindo e dificultando as opções referentes à privacidade e tracking.

É triste ver os sites nacionais de notícias recorrerem ao que é designado por "dark patterns" para baralhar e manipular os visitantes que se dêem ao trabalho de querer ajustar o tipo de dados que são recolhidos e a utilização que lhes é dada.

Foi um dos nossos leitores que se sentiu indignado com a situação, quando foi confrontado com os botões de desligar as permissão que são desenhados para confundir. Como ele próprio refere: "Os utilizadores ficam sem perceber se estão a desligar ou a ligar a permissão. Quando clicamos em 'desligar' a permissão é ligada e vice-versa. Mesmo as cores dos botões foram escolhidas para induzir em erro."



Também dispostos a vencer a batalha pelo "cansaço", os sites de notícias nacionais disponibilizam um botão de "aceitar tudo" quando se trata de dar acesso aos parceiros, mas quem os quiser desactivar terá que gastar o botão do seu rato a fazer mais de 150 cliques para os desactivar, um por um!

[vergonhoso exemplo que obriga visitantes a desligar 150 opções, uma por uma]

O caso torna-se ainda mais gritante quanto, olhando-se para empresa que forneceu esta tecnologia - a Quantacast - vemos no seu site exemplos de implementação que têm estes aspectos correctamente considerados, com indicações claras, tanto a nível visual e de cores, como o botão adicional que, para além de "aceitar tudo" também permite "rejeitar tudo", e que misteriosamente desapareceu da implementação nos sites de notícias nacionais como o CM, Jornal de Negócios, Destak, e muitos outros.





Depois admiram-se que a maioria dos utilizadores recorra a ad-blockers e bloqueio dos cookies e do tracking...

14 comentários:

  1. "O drama ... o horror ... 70 sites portugueses de seis dos principais grupos de comunicação social pedem o registo/login no Nónio"

    E o que é o Nónio, segundo ele próprio: "Este registo é um passo fundamental para podermos personalizar a publicidade de acordo com os interesses dos utilizadores – o principal objectivo do projecto Nónio. Através deste registo, é possível acumular um histórico de hábitos de consumo do utilizador, que deixará de receber publicidade que não lhe interessa."

    Ou seja está-se a falar de publicidade dirigida, que é onde está o principal ganho, por exemplo, da Google ou do Facebook.

    É uma coisa que toda a gente sabe. Então onde é que está o drama e o horror? Não há drama nem surpresa - é só mais um post na sucessão de outros em que os grupos editoriais nacionais são apresentados como malfeitores.

    "Viva Santa Google e os blogers! Abaixo o artigo 11 que quer dar dinheiro aos jornais!. Esses gajos nem têm direito a fazer dinheiro através da publicidade dirigida! Morram que não fazem falta nenhuma! ... Bem, morrer não, senão aonde é que os blogers iam buscar as notícias ... é mais ... continuarem à míngua" ;-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que tem isso a ver com o abuso de obrigarem os visitantes a clicar mais de 100 vezes para fazerem algo que podia ser feito com um único botão? Ou tudo se desculpa por ser feito por um jornal?
      Quanto aos blogs irem buscar lá notícias, passou-te seguramente ao lado o detalhe de isso acontecer com cada vez mais frequência no sentido inverso... E olha que não são os blogs a mendigarem taxas pelos links...

      Eliminar
    2. concordo nao sei qual é a admiração, mas havia duvidas que isto ia acontecer.

      Eliminar
    3. Aires, não é drama nem é horror mas se conseguires ler de forma isenta, por mais dificil que isso que possa parecer neste momento, o titulo do post é mais do que explicito sobre o problema. Eu transcrevo para que não hajam dúvidas "Sites de notícias portugueses confundem deliberadamente visitantes para recolher dados".
      Se mesmo assim não possuires entenderes, vai a um qualquer site de noticias estrangeiro que possua a mesma tecnologia e vê como é implementada quando tem em consideração o respeito pelo utilizador vs nos sites Portugueses, onde o respeito pelo utilizador não sequer entrou na lista de requisitos para a implementação.
      É triste mas é a realidade dos media em Portugal, tudo para chular mais uns centimos que o utilizador só está cá para isso. Qualidade das noticias e isenção ou ética jornalistica são conceitos estranhos hoje em dia em Portugal.

      Eliminar
    4. Bom dia @Aires,

      Então o que defendes é que vale tudo até matar a mãe para ganharem uns cobres, confesso que fiquei perplexo ao ler o teu argumento , façam as coisas com ética se querem ser tratados também com ela, se não o fizerem preparem-se para a turbulência e para o insucesso de um projecto desonesto, os leitores Portugueses mereciam mais respeito, NÃO ACHA ????!!!!... enfim.

      Eliminar
    5. Uma coisa é certa qd todos esses títulos se sentam à mesa e chegam a acordo para algo do género nada de bom virá dai.

      Eliminar
  2. Não tenho intenção nenhuma de me registar nessas tretas de nónios e/ou outros iguais. Estou-me a borrifar se ganham dinheiro à conta de publicidade ou de irem dar o traseiro para o Intendente. Abro os sites de notícias que me permitam ver notícias sem registos. Os outros deixam logo de listar nos meus favoritos. Temos pena!

    ResponderEliminar
  3. Eu obviamente que não vou ter conta nónio. Aliás, é a segunda vez que tentam implementar isto.. Mesmo com adblocker, muitas noticias obrigam mesmo a nonio.. simples, fecho e tento ler noutro lado. Isto é de uma imbecilidade.
    Mais, carlos, eu julgo que ao abrigo do RGPD é completamente ilegal e eles terem tudo on por default. A logica é "opt-in" e não "opt-out". Podias ter e fazer um artigo sobre a coisa e chibar estes gajos todos.
    Se querem receitas, se calhar contratem jornalistas decentes, façam noticias decentes e bem escritas, investiguem, informem, em vez de ser uma rede de copy past by estagiario, e se calhar passam a ter receita, seja com pub legitima seja por subscrição.

    ResponderEliminar
  4. Por aqui o Nomio foi o que me fez vencer a preguiça e instalar e configurar o Pi-Hole, instalei num RaspberryPi e todos os dispositivos da rede se ligam lá por DNS e bloqueia toda a publicidade e dá para acrescentar listas para bloquear coisas como o Nomio...

    ResponderEliminar
  5. Eu fiz e parece que vai produzir efeitos.

    "Com referência ao seu e-mail de 01.03.2019 informa-se V. Exª que se agradece a exposição dirigida à CNPD sobre matéria que está já a ser objeto de análise por parte da CNPD, por haver claro incumprimento da legislação de proteção de dados e da privacidade nas comunicações eletrónicas.



    Com os melhores cumprimentos

    A Secretária da CNPD"

    ResponderEliminar

[pub]