2019/04/16

Análise ao Galaxy Tab S4

Os tablets têm sido um parente "ignorado" na plataforma Android, mas o nosso Luis Costa hoje conta-nos como é que a aposta da Samsung nos seus Galaxy Tab - na forma do mais recente Tab S4 - está a resultar.


O Nexus 10 foi, durante muito tempo, o meu tablet de eleição. Ainda funciona, se bem que com uma lentidão própria de um equipamento que não consegue disfarçar o peso dos anos. Este tablet da Google foi lançado em parceria com a Samsung, numa altura em que o mercado dos tablets estava ainda dar os primeiros passos e o Android estava longe de ser uma resposta à dupla iOS/iPad, que dominava o sector. Os anos passaram, mas a Google nunca conseguiu dar aos tablets o mesmo que disponibiliza nos smartphones. A interface continua a estar longe de ser a ideal e, as aplicações, dificilmente tiram partido acrescido das dimensões do ecrã.

Ainda assim, maioria dos fabricantes vai mantendo a sua aposta no mercado dos tablets, actualizando a sua gama de produtos anualmente. A Samsung é uma das marcas que mantém uma presença constante neste segmento, tendo no Galaxy Tab S4 uma das suas propostas para o segmento premium.

O Galaxy Tab S4



Tal como nos smartphones topo de gama, a Samsung apostou fortemente no ecrã deste tablet, com o ecrã AMOLED de 10,5" (2560 x 1600 - WQXGA), a impressionar pela sua qualidade de imagem, o que ajuda a esquecer as margens laterais, já mais reduzidas, mas ainda assim longe do formato "full-screen" que encontramos nos smartphones.


Conta com uma porta USB-C e uma ficha de 3.5mm na lateral, zona onde também encontramos quatro colunas AKG, duas de cada lado.

O botão frontal e o sensor de impressão digital já não marcam presença neste Galaxy Tab S4, com a Samsung a preferir apostar no desbloqueio facial com reconhecimento da íris. Não sendo algo tão prático como o sensor, acaba por ser uma boa solução, visto a traseira estar longe de ser um local ideal para o mesmo efeito (mas a utilização de um sensor de impressões digitais no ecrã seria bem vindo).


Apresenta um processador Snapdragon 835, 4GB de RAM, 64GB para armazenamento, expansível através de um cartão microSD, bateria de 7300mAh com suporte para carregamento rápido, câmara traseira com 13MP e frontal com 8MP. Mede 249.3 x 164.3 x 7.1mm e pesa 482g, valores que estão longe de fazer deste tablet um peso pluma.


Em utilização



À altura dos testes, este Galaxy Tab S4 corria ainda a versão 8 do Android. A actualização para Android 9 Pie está prevista para este mês, com a Samsung a demonstrar que apesar de este ser um equipamento premium, está longe de receber as mesmas atenções que os seus congéneres no segmento dos smartphones.

Os tablets continuam a ter um perfil de utilização algo limitado, com a navegação na internet e o consumo de conteúdos multimédia, a estarem no topo das preferências, para esta tipologia de produto.

O ecrã, como referido, é muito bom, disponibilizando uma imagem com excelente qualidade. Youtube, Netflix, Amazon Prime e afins, saem reforçados por esta qualidade de imagem, acompanhados pelo som proveniente das quatro colunas, que transformam este pequeno ecrã de 10,5" numa alternativa bastante válida para ver filmes e séries. O som pode até chegar a níveis demasiado altos.




Outra das vertentes de utilização dos tablets, passa pela produção de conteúdos, com o teclado amovível a ser um precioso auxiliar nestas situações. É surpreendentemente agradável de utilizar quando pousado numa mesa, não se podendo dizer o mesmo quando o tentamos utilizar em cima das pernas.



O modo DeX, originalmente disponibilizado para ligar os smartphones Samsung a um ecrã de TV ou monitor, aparece agora neste tablet numa nova versão, pensada para tirar partido do ecrã de 10,5". Em termos teóricos é uma boa ideia, mas utilização prática do modo DeX veio mostrar uma realidade diferente, havendo ainda espaço para melhorias.

Esta interface acaba por ser um casamento entre o Android e o Windows. O problema está nas aplicações que não estão ainda adaptadas para este modo de funcionamento com janelas, sendo por vezes difícil fechar/sair de algumas apps. A experiência de utilização sai beneficiada com um rato bluetooth, se bem que, mais uma vez, apenas quando estiverem a utilizar o tablet sobre uma mesa.

A caneta também poderá ser um bom auxiliar, mas estará sempre muito dependente do tipo de utilização que se fizer. Desenhar ou tirar notas acabam por ser tarefas bastante agradáveis de levar a cabo, pelo que poderá ser uma opção a ter em conta pelos estudantes.



Para quem trabalhar na área da programação, a chegada do Linux ao Galaxy Tab S4 poderá ser uma excelente notícia. A versatilidade do tablet associada a este ambiente de desenvolvimento é bastante interessante, mas está ainda numa fase muito embrionária, não sendo por isso de estranhar os problemas que ainda se vão fazendo sentir - por exemplo, com alguns caracteres "especiais" a não estarem disponíveis. Quem utilizar tablets há mais tempo e tenha procurado escrever com um teclado físico, por certo que estará recordado deste problema, que levou anos a ser resolvido pela Google. (Actualmente, a situação já se encontra resolvida, tanto no modo Android, como no modo DeX, com o teclado a não ter este problema com os caracteres especiais.)

A câmara frontal será bastante útil quando for necessário fazer vídeo-chamadas. A câmara traseira num tablet acaba por ser um extra com utilidade reduzida, mas caso necessário poderão aproveitar para tirar umas fotografias com o Tab S4.


Apreciação final



Quem procurar um tablet com boa qualidade de construção e hardware capaz de disponibilizar um bom desempenho, tem neste Galaxy Tab S4 uma opção a ter em conta. O ecrã está ao nível do que a Samsung tem apresentado nos seus equipamentos premium, disponibilizando uma excelente qualidade de imagem, que é complementada com um sistema sonoro a condizer. A visualização de conteúdos multimédia será assim um dos cenários de utilização mais recomendados para este Galaxy Tab S4. Editar documentos pode igualmente ser uma opção, desde que contem com o teclado e um rato bluetooth. Não sendo uma acção tão prática como num PC ou portátil, já consegue ser uma alternativa a ter em conta.

O preço, acima de 600€ na maioria das lojas, a que terão de adicionar 149€ para a capa teclado, acaba por ser o ponto menos positivo do Galaxy Tab S4, colocando este tablet no mesmo segmento de preço que muitos computadores portáteis. Por esta razão, o Galaxy Tab S4 acaba por receber o nosso prestigiado "Quente".



Galaxy Tab S4


Quente



Prós
  • Ecrã
  • Qualidade de som
Contras
  • Preço
  • Android 8.1

Galeria de imagens





Samsung Galaxy Tab S4

Quente (4/5)

3 comentários:

  1. Têm alguma indicação como é que este tablet se posiciona face ao topo de gama da Huawei? Ando a namorar ambos :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São duas das melhores opções disponíveis no mercado dos tablets Android.
      O Galaxy Tab S4 leva vantagem no confronto de hardware, mas o MediaPad M5 está substancialmente mais barato.

      Eliminar

[pub]