2019/05/08

Análise ao Huawei P30 Lite

Depois de termos espreitado o Huawei P30 Pro, é agora tempo de analisarmos o modelo mais acessível da família P30, o P30 Lite.


Embora seja inevitável que os consumidores se deixem fascinar pelos modelos topo de gama, na altura de comprar um smartphone há que dar ouvidos à razão e fazer contas à vida. A gama média continua a ser um segmento de mercado extremamente importante, ainda mais quando o intervalo de preços se estendeu até aos 400€. A Huawei mostra estar atenta a este sector, renovando o seu portefólio com o P30 Lite, smartphone que terá a responsabilidade de suceder ao P20 Lite de 2018.

A série P30 chegou ao nosso mercado no início de Abril, com o Huawei P30 a registar um aumento de interesse superior a 200% face ao anterior Huawei P20. Renovada a gama alta, a Huawei aposta agora na actualização da gama média, com um P30 Lite que, à imagem dos smartphones do segmento premium, tem também nas câmaras o seu grande destaque.


O Huawei P30 Lite




As semelhanças não se ficam pelas câmaras, com o P30 Lite a apresentar um design muito semelhante ao do Huawei P30. Na frente, em cima, um notch "gota de água", com reduzida dimensão, sobre o qual se encontra a coluna frontal. O ecrã ocupa a quase totalidade da área frontal, com as margens laterais a serem reduzidas. A zona inferior apresenta uma margem um pouco maior, na ordem dos 5mm.



Na traseira, há mais uma vez a intenção de seguir as linhas do segmento premium, com a tripla câmara em cima à esquerda, por baixo desta a sua especificação e, na zona inferior, o logótipo da marca. A excepção (tirando a questão do hardware das câmaras), é o sensor de impressão digital, que aparece numa zona central, no terço superior do smartphone.



Na lateral direita temos os botões de volume e power. Sendo que a lateral esquerda permanece livre de botões e ligações.



Em cima, o slot para os cartões SIM/microSD e um microfone, sendo que devem ter em atenção qual é o orifício para libertar o adaptador dos cartões (o do lado exterior), evitando assim danificar o microfone.



Na lateral inferior, a saída de som, mais um microfone, a porta USB-C e a ficha de 3.5mm para headphones. De salientar o facto desta zona ser quase plana, tal como a lateral do Huawei P30 Pro, não sendo no entanto suficiente para manter o smartphone equilibrado na vertical.

O hardware apresenta algumas particularidades curiosas, com o processador a ser o mesmo que a Huawei utilizou no Mate 20 Lite, seguindo a mesma política aplicada no segmento premium com a série P a apresentar o mesmo processador da série Mate. No caso do Huawei P30 Lite, temos um processador Kirin 710 octa-core com 4 núcleos Cortex-A73 2,2 GHz + 4 núcleos Cortex-A53 1,7 GHz, acompanhados por um GPU Mali-G51 a 1GHz.

O ecrã LCD de 6.15", apresenta uma resolução FHD+ 2312 x 1080, com um rácio ecrã / corpo de
90%. Conta ainda com 4GB de RAM e uns muito generosos 128GB para armazenamento, para que possam manter todas as fotos e vídeos no smartphone. Em termos de conectividade, apresenta suporte para WiFi 802.11a/n/ac, NFC, mas o Bluetooth está limitado à versão 4.2.




No que diz respeito às câmaras, conta com uma tripla câmara na traseira com 48 MP (Grande Angular, f/1.8) + 8 MP (Ultra Grande Angular) + 2 MP (Bokeh). Na frente, um sensor de 24 MP, com abertura f/2.0.



Tem uma bateria de 3.340 mAh, que suporta carregamento rápido (9V/2A), mede 72,7x152,9x7,4 mm e pesa 159g. Corre Android 9 Pie com interface EMUI 9.0.1.



Em utilização



O anel metálico com arestas arredondadas e a traseira em vidro, tornam o equipamento bastante confortável em utilização. O peso não sai comprometido com esta escolha de materiais, com o smartphone a ser bastante leve. No entanto, embora seja algo positivo, poderá acabar por causar alguns dissabores, com o equipamento a facilmente poder voar da mão num contacto mais descuidado. Com tanto vidro disponível para embater no chão, recomenda-se a utilização de uma capa.





O processador Kirin 710 já é nosso conhecido, tendo na altura provado ser competente quanto baste para um equipamento de gama média. Em termos de processamento, enquadra-se na mesma categoria do Snapdragon 636, se bem que acabe por perder na parte gráfica, com o GPU Mali-G51 a não conseguir acompanhar as prestações do Adreno 509 utilizado no processador Snapdragon.



O armazenamento tem um desempenho dentro do esperado, o que ajuda a contribuir para uma prestação equilibrada deste Huawei P30 Lite, não havendo lugar a atrasos na resposta do equipamento.



O sensor na traseira do smartphone, está ao nível do que a Huawei tem apresentado nos seus equipamentos, sendo rápido e preciso na detecção da de impressão digital. Por comodidade, e para quem assim preferir, poderá utilizar o sistema de reconhecimento facial, que funciona bem na grande maioria das vezes.



A EMUI 9.0.1 é a que já conhecemos do Mate 20, não havendo por isso lugar a novidades. Há sim, a confirmação que a marca chinesa coloca algumas ferramentas muito úteis, ao dispor do utilizador.



Com o Android Q a dar mais um avanço na área da navegação por gestos, é mais do que certo que o futuro passara por um sistema de navegação sem botões virtuais (ou físicos). A Huawei há alguns anos que tem vindo a efectuar experiências nesta área, tendo com a versão 9 da EMUI, disponibilizado um sistema de gestos que substitui na integra os botões virtuais do Android. Não sendo algo que possa agradar a todos os utilizadores, é sem dúvida uma boa forma de os convidar a embarcar neste novo sistema de navegação.



A EMUI conta ainda outras funcionalidades sempre úteis, como a possibilidade de utilizar um sistema de doca (app drawer) tal como no Android da Google ou manter todas as apps no home screen (ao estilo iOS), capturas de ecrã simplificada, GPU Turbo para um desempenho melhorado nos jogos, e também a possibilidade de esconder o notch caso não gostem de conviver com o mesmo.


As câmaras



A fotografia tem sido uma das áreas em que a Huawei tem vindo a apostar nos últimos anos, com a sua linha premium a disponibilizar resultados de elevada qualidade, como ainda recentemente tivemos oportunidade de confirmar, aquando da análise do Huawei P30 Pro.

Este P30 Lite apresenta uma configuração de câmaras semelhante à do Huawei P30, se bem que com a ausência do seu zoom telescópico 10X. Embora apresente uma tripla câmara tripla traseira, as especificações são - como se poderia esperar - inferiores às apresentadas pelo P30, desde logo pelo facto de as câmaras não terem sido desenvolvidas em parceria com a Leica. Este facto não deve contudo preocupar o consumidor, pois os resultados obtidos foram bastante interessantes, acima da média para este segmento de mercado.


Huawei P30 Lite

Ao apostar numa tripla câmara traseira, constituída por um sensor de 48 MP (Grande Angular, f/1.8) + 8 MP (Ultra Grande Angular) + 2 MP (Bokeh), a Huawei disponibiliza ao utilizador um conjunto muito versátil. Este trio é capaz de produzir resultados de qualidade em diferentes cenários, graças interligação do hardware com os múltiplos modos de fotografia disponibilizados: Grande Angular, Noite, Retrato, Pro, Câmara Lenta, Panorama, Pintura de Luz, HDR, Lapso de Tempo, Panorama 3D, Marca de Água, Documentos, Supermacro, Capturar Sorrisos, Controlo Áudio e Temporizador. Apenas a lamentar, o facto de o vídeo estar limitado a uma resolução FullHD.

A câmara frontal com um sensor de 24MP, apresenta uma abertura f/2.0. Não faltam os diferentes modos de fotografia, havendo soluções bastante versáteis (Retrato, Panorama, Realidade Aumentada, Lapso de Tempo Filtros, Panorama 3D, Marca de Água, Capturar Sorrisos, Reflexo em Espelho, Controlo Áudio e Temporizador), pensadas para o público mais jovem.



A interface é a mesma que a Huawei apresenta nos seus topo de gama, havendo mais uma vez uma continuidade em termos de oferta.

Os resultados obtidos durante o período de testes foram bastante interessantes, com as câmaras a conseguirem disponibilizar imagens de qualidade, na grande maioria dos cenários. Quem assim preferir, poderá sempre optar pelo modo de fotografia manual, ficando com a possibilidade de configurar os diferentes parâmetros da fotografia a seu gosto.


"Normal" vs modo noite

O facto de podermos contar com a ajuda da Inteligência Artificial e vários modos de fotografia, acaba por facilitar a vida ao utilizado, que muitas vezes apenas terá de clicar no botão de disparo. O modo noite será talvez dos mais interessantes, permitindo tirar fotografias em zonas com pouca luminosidade.


Modo noite - Mate 20 Pro vs P30 Lite

Nas duas imagens em cima, podemos ver a comparação entre duas imagens obtidas no mesmo local, com o P30 Lite e o Mate 20 Pro. De referir que o local onde foi tirada a fotografia estava sem qualquer iluminação, havendo apenas uma luz ténue no exterior da sala, vinda de outra divisão.

É certo que continua a existir uma grande diferença na qualidade dos resultados, mas não podemos esquecer a diferença de preço e hardware entre os dois equipamentos. Se tivermos este facto em conta, os resultados desde modo noite, acabam por ser bastante satisfatórios.



Grande angular vs Ultra grande angular com AI ligada (céu azul)

A ultra grande angular possibilita a obtenção de imagens numa nova perspectiva, seja a curtas ou médias distâncias. Há contudo que ter em consideração as condições de iluminação da zona a fotografar, com estas a terem um forte impacto na qualidade da fotografia.


Grande angular vs Ultra grande angular

O compromisso entre a área a fotografar e o nível de detalhe da imagem, acabam por ser as duas variáveis a ter em conta, na altura de "disparar". Se numa imagem sem zoom, a diferença não é tão notória, uma análise mais cuidada, revela bem a diferença, para o mesmo nível de zoom.


Apreciação final



O facto de estarmos na presença de um smartphone com uma traseira em vidro, desde logo transmite um toque de requinte, que habitualmente só estamos habituados a ver no segmento premium. A disponibilização de um equipamento com materiais de qualidade, num produto de gama média, acaba por valorizar a oferta para quem procura um equipamento com estas características..

O desempenho não apresenta compromissos, com o smartphone a responder sem excitações. O processador não está ainda ao nível do seu congénere da Snapdragon, algo que só deverá acontecer numa das próximas gerações da série 7XX do Kirin.

Este P30 Lite acabou por ser uma agradável surpresa, apresentando-se como uma evolução do P20 Lite, se bem que com algumas melhorias inesperadas, como foi o caso dos 128GB de para armazenamento e a tripla câmara traseira. Com este espaço disponível, dificilmente irão ficar sem espaço para instalar dezenas de apps e guardar muitos vídeos, se bem no caso destes últimos, limitados a FullHD.

A concorrência na gama média está cada vez mais feroz e o PVP de 379€,90€ coloca este smartphone numa zona muito povoada, havendo várias opções neste segmento de preço, igualmente interessantes. O P30 Lite tem contudo argumentos que por certo irão ajudar a garantir a escolha do consumidor, sendo por isso merecedor de um distinto "QUENTE".


Huawei P30 Lite

Quente

Prós
  • Qualidade de construção
  • 128GB para armazenamento
  • Prestação da tripla câmara


Contras
  • Preço
  • Processador



Huawei P30 Lite

Quente (4/5)

1 comentário:

  1. Por esse preço, mais vale comprar um OnePlus 6 (389 amazon.es). O P20 lite / P30 lite tem processadores muito fraquinho, software extremamente modificado

    ResponderEliminar

[pub]