2019/05/05

Município Canadiano que trocou autocarros pela Uber foi obrigado a aumentar preços e impor limites


Uma curiosa experiência feita no município Canadiano de Innisfil, que optou por usar o serviço da Uber em vez de uma rede de transportes públicos tradicionais, está a demonstrar que aquilo que realmente importa é a sustentabilidade do serviço - qualquer que ele seja.

O projecto teve início em 2015 quando, face aos números que indicavam que um autocarro (270 mil dólares canadianos) teria um custo estimado de 16 dólares por cada um dos 17 mil passageiros estimados ao longo do primeiro ano de serviço - sem contabilizar com o custo de criar a infraestrutura e rede de transportes. Por isso, em vez disso, decidiu subsidiar a utilização de transportes da Uber: os seus cidadão poderia ter viagens para diversos pontos distribuídos pela cidade a um preço fixo (3 a 5 dólares), ou obter um desconto de 5 dólares ao viajarem para outros destinos dentro da cidade.

O problema é que, a projecto tem tido tanta adesão que agora se torna uma vítima do seu próprio sucesso, obrigando a ajustar os preços e - menos consensual - impondo limites ao número de viagens. Os preços fixos aumentaram 1 dólar, o desconto baixou para os 4 dólares, e os utilizadores têm agora um limite de 30 viagens mensais. Um limite que nem sequer permite fazer uma única viagem de ida e volta diária para uma escola ou para o trabalho (com aquelas condições).

São alterações que dizem ser obrigatórias devido ao número sempre crescente de utentes, e que o limite de viagens pretende acabar com os "abusos" - algo que obviamente é fortemente contestado por quem considera que o direito à locomoção em transportes públicos não deve impor limites à forma como os utentes os queiram utilizar.


É por isso que, independentemente da forma de transporte, o que realmente interessa é o custo de operação do mesmo. E isso é algo que Elon Musk quer revolucionar ao disponibilizar um serviço de transporte com uma frota de Teslas que possam dispensar os condutores humanos.


Nesse caso, e segundo os valores apresentados pela Tesla, o custo de um serviço estilo Uber ($2-$3) cai para apenas $0.18, ficando também significativamente mais barato do que ter carro próprio ($0.62). Serão estes os valores que importa definir e tentar atingir, e que poderão potenciar uma revolução nos sistemas de transporte rodoviários, a todos os níveis, quer de passageiros quer de mercadorias.

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]