2019/06/18

Facebook anuncia criptomoeda Libra com apoio de peso

Não há nada em que o Facebook não se queira meter, e as criptomoedas não são excepção. O Facebook apresentou a Libra, acompanhada por dezenas de apoiantes de peso, e uma nova subsidiária Calibra para lhe dar uso.

Criptomoedas há muitas, mas poucas se poderão gabar de contar com o tipo de apoio que o Facebook conseguiu para a sua Libra: VISA, Mastercard, PayPal, Stripe, Coinbase, Uber, Lyft, Vodafone, Kiva, Mercado Pago, Spotify, e até a Farfetch, entre muitos outros. A criptomoeda é criado pelo Facebook, mas o seu controlo será gerido pela "Libra Association", sediada na Suiça, para garantir a sua independência do Facebook - embora o Facebook tenha a vantagem de contar com dois votos nessa associação ao estar presente como Facebook e como Calibra, a nova subsidiária que tratará da questão dos pagamentos usando a Libra e da sua carteira digital.


O objectivo da Libra (não confundir com a libra inglesa) é facilitar os pagamentos e transferências, com o Facebook a assegurar que nunca irão ser cobradas comissões pelas transferências entre utilizadores e, a haver taxas nos pagamentos para comerciantes, serão muito inferiores às taxas habituais. A missão "altruísta", segundo o Facebook, é facilitar o acesso a uma gestão fácil do dinheiro independentemente de se ter uma conta bancária ou não.

Na vertente do dinheiro, a Libra não será uma criptomoeda especulativa e terá o seu valor assegurado por valores reais, sob a forma de um fundo criado pelos membros da associação. E na parte técnica, o Facebook garante que esta criptomoeda é eficiente em termos energéticos, e que não terá problemas em lidar com milhões de transacções por segundo.

A Libra chegará em 2020 e para a utilizar será necessário validar a identidade usando documentação oficial. Para se tentar distanciar da sua "fama", o Facebook garante também que as transacções e pagamentos feitas com Libra não serão utilizados para efeitos de publicidade ou de criação de perfis sobre os utilizadores.

Numa altura em que os bancos querem cobrar cada vez mais comissões sobre operações básicas, o Facebook muito bem ter acertado no momento certo para lançar esta Libra. Agora será só uma questão de tempo para sabermos se esta terá sido uma das maiores e mais importantes jogadas do Facebook, ou se não passou de mais uma experiência que depressa será esquecida.

13 comentários:

  1. Google...?
    Apple...?
    Microsoft...?

    Abram o olho!

    ResponderEliminar
  2. Esta criptomoeda tem a vantagem relativamente às outras de poder ser mais equilibrada, portanto não especulativa por oposição às outras que variam o seu valor de forma desregulada (ou não!). Foi necessário obter a colaboração de vários "players", grandes pois claro, para poder chegar a esse equilíbrio. O nome Libra virá certamente do Zodíaco (Balança - lá está equilíbrio outra vez) e não das libras inglesas!

    ResponderEliminar
  3. A utilização da designação "criptomoeda" é apenas para marketing, na verdade este serviço terá mais semelhança com coisas como o Alipay ou o WeChat que são bastante utilizados na China. Os adeptos das criptomoedas não lhe vão tocar por ser centralizada e sem expectativas de ganhos, mas para o utilizador comum que não se importe de andar a ser espiado pelo Facebook e companhia é capaz até de funcionar. Convenhamos que para além das oscilações de preço, o mundo dos criptomoedas contém outros riscos como fraudes e roubos que são difíceis de reverter num sistema descentralizado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Precisamente, Skynet! A Libra é apenas uma unidade de conta utilizada no mundo Facebook, com conversão sempre garantida para as moedas soberanas.

      Eliminar
    2. Não invalida que seja, de facto, uma criptomoeda, assente em blockchain, com proof of stake, suporte para smart contracts, etc.

      Já no passado tivemos / temos outras criptomoedas também a garantir a paridade da moeda digital com uma moeda física (a Stablecoin).

      Eliminar
  4. >assente em blockchain

    nao 'e assente em porra nenhuma 'e um token centralizado como o Skynet disse.
    Para ser um Blochian token tinha de ser publicamente autidavel e com poder descentralizado(nem estou a falar em mining porque nao 'e um token PoW)

    Banha da cobra basicamente

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Antes de ficares tão irritado e te apressares a comentar, não será pior perderes 30 segundo a informares-te sobre o que é o blockchain:
      https://en.wikipedia.org/wiki/Blockchain
      https://en.wikipedia.org/wiki/Blockchain#Private_blockchains

      Eliminar
    2. 'e uma base de dados portanto , se 'e permissioned blockchain 'e uma base de dados prova-me o contrario.
      perdi mais de 30 segundos e acredita se calhar tu 'e que precisas de pesquisar melhor acerca da natureza das blockchain aka timechain.
      "e puro marketing stunt com os players de sempre visa mastercard paypal a dar uma ajuda de liquidez a uma shitcoin com kyc que ira parar as maos da cambrige analitica.

      Eliminar
    3. Não tenho que provar nada, tu é que estás a partir do pressuposto que o blockchain, enquanto "....growing list of records, called blocks, which are linked using cryptography..." tem que ser público e distribuído para encaixar na definição que idealizaste daquilo, mas que não corresponde à realidade. Se depois quiseres discutir vantagens e desvantagens de ter ledgers distribuídos / centralizados / públicos / privados, isso será outro assunto, que não invalida a tecnologia subjacente (como poderás reparar, na definição nem é feita qualquer referência a esses aspectos).

      Seria o mesmo que alguém vir dizer que um programa não era software a não ser que fosse open-source, quando software é software, independentemente de depois poder ser classificado de proprietário ou open-source.

      Eliminar
    4. "blockchain" da facebook nao tem blocks, 'e uma estrutura unica que apenas recorre a merkle tree para garantir que nao ha double spends, por isso 'e que disse que era uma BD mas podes confirmar.
      " the Libra Blockchain is a single data structure that records the history of transactions and states over time." https://libra.org/en-US/white-paper/
      Continuo a dizer que Zuckercoin 'e marketing stunt na tentativa de estabelecer uma posicao dominante nesta area.

      Eliminar
    5. Caro Jurassic, com todo o respeito, não podes / deves mudar o nome das coisas só para que se encaixem na definição que achas ser adequada.

      Se não queres chamar "blocos" ao registos da blockchain do Libra, estás no teu direito, mas então também não os chames aos de outras blockchains. Novamente, não há nada na definição de blockchain que obrigue a que tenha que ser usado com um ledger distribuído (que parece ser a parte que te está a fazer mais confusão).

      E como considero que tanto o teu tempo, como o meu, será melhor utilizado do que a discutir semântica, fico-me por aqui.


      P.S. Nem será preciso dizer que concordo contigo no aspecto de que esta Libra nada tem a ver com o conceito dos Bitcoin e outras criptomoedas, cujo principal propósito era/é serem completamente descentralizadas e livres de uma qualquer entidade única - mas novamente, há criptomoedas e criptomoedas... :)

      Eliminar
  5. Bem, é só entendidos aqui nesta coisa! Estão prontos para começarem a governar o Banco de Portugal? Com tanto conhecimento, pode ser que isto comece a levitar as bitcoinas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já subiu mais de 100% desde o início de Janeiro deste ano. Mais algum pedido? :)

      Eliminar

[pub]