2019/06/29

Trump suspende bloqueio à Huawei


A novela Trump - Huawei conheceu hoje um novo e importante desenvolvimento, com o Presidente americano a anunciar a suspensão do bloqueio imposto ao gigante tecnológico chinês. Não foram ainda dadas informações específicas sobre esta situação, sabendo-se apenas que as empresas americanas estão novamente autorizadas a vender os seus produtos à Huawei.

O Sr Trump fez questão de referir que o tema "Huawei" era bastante complexo, razão pela qual teria que ficar para o final das negociações, podendo no entanto reiniciarem-se as trocas comerciais visto haver um elevado número de empresas e produtos americanos a serem adquiridos pela Huawei. Não foi referida a tipologia de produtos a que a Huawei terá acesso, mas atendendo às declarações do Presidente americano, a marca chinesa não deverá ter dificuldades em adquirir os componentes necessários para a produção dos seus smartphones e portáteis.

Huawei já pode comprar hardware e software americano

O acesso ao Android da Google será igualmente alvo de desbloqueio, se bem que neste caso a Google tinha activado um período de excepção com a Huawei a poder utilizar o Android e os serviços da Google sem restrições durante 90 dias.

A impossibilidade de utilizar hardware americano terá causado alguma preocupação à Huawei, mas pelo menos no que aos smartphones diz respeito (portáteis já é outra história...) a marca chinesa não deveria ter grandes problemas em encontrar alternativas. Os 15 componentes americanos utilizados no Huawei P30 Pro são disso exemplo, representando apenas cerca de 1% dos 1631 utilizados na montagem deste smartphone.

O software, por seu turno, representa um problema bem maior. Não que a Huawei não tenha alternativas, como o tantas vezes falado (e agora confirmado) plano B, mas o Android é muito mais que o AOSP disponibilizado pela Google. Se na China, a Huawei utiliza uma estratégia que dispensa os serviços da Google, o mercado ocidental obriga a outro enquadramento, com os utilizadores a não verem com bons olhos o facto de não poderem utilizar a Play Store, Google Assistant e afins.

A portuguesa Aptoide chegou a ser falada nas inúmeras notícias (e fake news...) sobre este tema, com a sua loja a poder ser uma alternativa para a Huawei, algo que no entanto nunca chegou a ser confirmado pela marca chinesa. O facto da Huawei já possuir a sua própria loja de apps e a tipologia de conteúdos que se podem encontram na loja nacional podem ser duas das razões para que este negócio não tenha (para já?) avançado.

Futuro ainda em aberto



Como ficou claro no final das declarações do Presidente americano, a questão ainda está longe de estar resolvida. As negociações vão continuar não havendo ainda certezas quanto a um desfecho para este assunto. Para já, a única garantia é que a Huawei poderá retomar as aquisições de material americano, com os smartphones e portáteis a estarem na linha da frente para produção de novos equipamentos.

Fica por saber qual o real impacto do bloqueio americano e qual a postura que a Huawei irá apresentar daqui para a frente. Os 800 milhões de utilizadores anunciados pelo CEO da marca chinesa representariam um forte impacto nas contas da Google, que de um momento para o outro se arriscava a ver nascer um segundo concorrente de peso,eventualmente tornando-se na ameaça que o Windows Mobile nunca conseguiu ser.

3 comentários:

  1. Qual novelas mexicanas, qual quê!
    Esse palhacito produz mesmo o melhor de todos os espetáculos.

    ResponderEliminar
  2. Como é que chegamos a ter uma pessoa com este perfil há frente de um país como os States, mas que encruzilhada, nem as novelas mexicanas são tão dramaticamente más.

    ResponderEliminar

[pub]