2019/07/09

Pixel 4 vai manter margens generosas acima e abaixo do ecrã


A Google não tem sido particularmente feliz no design dos Pixel, e o Pixel 4 vai continuar a deixar a desejar, mantendo margens volumosas que se tornaram incomuns em modelos topo de gama.

Com o Pixel 3 XL a Google criou um dos smartphones mais feios de sempre, com um proeminente notch no topo e, para "ajudar", uma margem volumosa na parte inferior. Com o Pixel 4 a coisa não chegará a esse ponto mas também irá deixar muitos fãs descontentes. Isto se se vier a comprovar que as imagens reveladas da frente serão mesmo reais.

É que, enquanto nos últimos anos a maioria dos fabricantes já adoptou notches diminutos e, mais recentemente, coisas como furos para a câmara ou câmaras frontais em módulos popup, a Google parece optar por manter o sistema tradicional de uma margem volumosa no topo para albergar as câmaras (dizem os rumores que haverá dupla câmara frontal, com uma dela potencialmente sendo uma câmara IR para permitir o reconhecimento facial mesmo sem luminosidade ambiente). E, como se isso não fosse suficiente, também em baixo permanece uma margem volumosa.

Com tudo isto, o Pixel 4, em termos estéticos, continuará a ficar atrás de modelos como o OnePlus 7 Pro e outros smartphones que se têm livrado das margens. Não é que isso vá ser problemático em termos funcionais... mas, como se costuma dizer, os "olhos também comem", e quem gasta dinheiro num topo de gama certamente gostará que ele tenha "bom aspecto".

2 comentários:

  1. Remar contra a maré é fixe, para tolos que ultimamente pairam na Google.

    ResponderEliminar
  2. Infelizmente os preços são tão ridículos como os da Apple ou Samsung, senão ficava já na minha lista de desejos. Continuo com o velhinho ZTE Axon 7, porque a partir daí as margens desapareceram. E os telemóveis detectam falsos toques quando se utilizar os equipamentos só com uma mão, e a desfazerem-se completamente quando caem em plástico de uma altura de 10cm, como o meu S8.

    Form over function? Não, obrigado. Parabéns, Google! Infelizmente o novo lema da empresa "Do as much evil as possible" impede-me, em conjunto com o preço elevado de forma não justificável, de comprar este equipamento. Espero que a OnePlus se lembre de copiar. Como fez quando remou contra a maré com o X, pequeno num mundo de gigantes.

    ResponderEliminar

[pub]